22.1 C
Vitória
sábado, 25 maio, 2024

Ana Hickmann é cobrada na Justiça por dívidas milionárias

Em entrevista concedida no último domingo (26), a apresentadora afirmou que as dívidas impulsionaram o divórcio com o seu ex-marido

Antes de a apresentadora Ana Hickmann denunciar o marido, Alexandre Correa, por violência doméstica e lesão corporal no último dia 11, a empresa do casal, a Hickmann Serviços Ltda, com sede no bairro Vila Romana, em São Paulo, já acumulava dívidas milionárias com bancos e instituições financeiras em valores que, somados, ultrapassam R$ 5 milhões.

Em entrevista concedida ao Domingo Espetacular no domingo, 26, a apresentadora confirmou que o casal tem dívidas e que esse foi um dos fatores para o conflito. “Comecei a me deparar com grandes mentiras”, declarou.

- Continua após a publicidade -

Ana também alegou que não sabe o valor exato das cobranças. “Não faço a menor ideia, porque ainda não cheguei no fundo”, contou. “E o motivo de eu não saber é que a gente sempre dividiu isso muito bem. Sempre deixei claro que, dentro da nossa empresa, ele é a parte administrativa e financeira. Eu [cuidava da parte de] imagem, celebridade, criação de produtos, design e marketing”.

“Nunca tive problema com isso porque a gente saiu do zero. Construímos do zero, e eu morria de orgulho de falar isso”, afirmou.

Segundo ela, Alexandre tentava omitir as dívidas. “Quando a primeira nota saiu, não tem quatro meses… ele tentou esconder isso de tudo quanto é jeito. E fez com que todo mundo escondesse o que a imprensa estava falando”, declarou. “Na sequência vieram outros”.

Em entrevista à revista Quem, o marido de Ana Hickmann afirmou que ela está cometendo “uma verdadeira injustiça” ao falar sobre o casal. Ele alegou, ainda, que ela estava “alcoolizada” e “agressiva” no dia do conflito. Procurado, ele não respondeu até a publicação desta matéria.

O Estadão apurou quais são essas dívidas no nome da empresa e do casal, citadas na entrevista. Foi encontrada uma cobrança, esta por despesas do condomínio Place Royale – localizado na Rua Monte Alegre, em Perdizes -, que tramita na 5ª Vara Cível com uma valor de R$ 41.978,43. Na ação, são citados como requeridos tanto o nome de Alexandre Correa quanto o de Ana

Em entrevista ao programa de TV Fofocalizando no último dia 15, Correa chegou a rebater as alegações de que o casal teria dívidas. “Essa história de processo e dívida é absolutamente fantasioso”, disse.

Entretanto, uma pesquisa simples e acessível no site do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) mostra que, de fato, tanto a Hickmann Serviços Ltda quanto Ana Hickmann e Alexandre Correa estão sendo cobrados pelo Banco do Brasil e pelo Banco Safra, além da cooperativa de crédito Sicredi. O casal, como pessoa física ou jurídica, também é cobrado por despesas de condomínio, aluguel e impostos municipais.

Um dos processos disponíveis diz respeito a uma cobrança no valor de R$ 1.272.427,97 pelo Banco do Brasil. O caso tramita na 14ª Vara Cível de São Paulo e teve início em julho de 2023. A última movimentação do processo foi no dia 2 de novembro de 2023, quando um ato do processo foi certificado pela Justiça.

O Banco Safra também cobra o casal. De acordo com informações disponíveis no site do TJ – SP, a instituição financeira cobra uma dívida no valor de R$ 1.226.789,42 em nome de Alexandre Bello Correa e Ana Lucia Hickmann Correa. Em outro processo, a cobrança recai sob a Hickmann Serviços Ltda, no valor de R$ 356 968,98.

No Foro de Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo, há outra cobrança de título extrajudicial contra a Hickmann Serviços Ltda. Dessa vez, por parte da cooperativa de crédito Sicredi. O valor da ação é de R$ 2.451.840,60.

Contra a Hickmann Serviços Ltda também constam outras cobranças, como uma ação de despejo por inadimplência de aluguéis no valor inicial de R$ 333.775,00. Em setembro, segundo informação disponível no site do TJ – SP, foi feito um acordo entre as partes. O caso agora aguarda uma decisão do juiz da 2ª Vara Cível de São Paulo.

Outro cobrança, esta por despesas do condomínio Place Royale – localizado na Rua Monte Alegre, em Perdizes -, tramita na 5ª Vara Cível com uma valor de R$ 41.978,43. Na ação, são citados como requeridos tanto o nome de Correa quanto o de Ana. Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

FIQUE POR DENTRO

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -