Para ministro, visitantes e presos não devem ter contato durante conversa

segurança
Foto: OAB-RJ

Jungmann defendeu o uso de parlatórios, com divisória de vidro e telefones, para que tudo seja registrado, como acontece em filmes norte-americanos

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, defendeu o fim do contato direto entre presos e visitantes nas penitenciárias. Ele propôs a construção de parlatórios, em que qualquer contato com o preso seja registrado.

Para o ministro, a medida é necessária para evitar que os chefes do crime organizado continuem a agir de dentro das cadeias. A situação foi chamada ironicamente por Jungmann de “home office” (escritório em casa). As informações são da Agência Brasil.

“Vocês já viram em filmes: tem um vidro, tem um telefone, e tudo aquilo que é conversado é registrado. Se houver necessidade, requisitam-se ao juiz aquelas informações”, afirmou Jungmann. A declaração foi feito durante abertura da 13ª Feira Internacional de Segurança (ISC Brasil), na zona norte de São Paulo.

Nova secretaria de produtos

Jungmann anunciou nesta terça (6) a criação da Secretaria de Produtos de Segurança. A atuação do órgão será no investimento em produtos e tecnologias no combate à criminalidade do Brasil. O ministro também ressaltou a importância do investimento em inovação para aumentar a segurança.

“É fundamental que a segurança pública tenha o apoio do setor privado, precisamos gerar inovação e produção tecnológica para combater o avanço da criminalidade”, declarou o ministro.

A pasta da Segurança Pública foi criada por medida provisória assinada pelo presidente Michel Temer em 26 de fevereiro. Ele citou a criação da Secretaria de Produtos de Segurança, como existe no Ministério da Defesa.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!