Festival de Cinema de Vitória bate recorde de inscrições

Foto: Gustavo Louzada

O evento, que está em sua 24ª edição, teve um aumento considerável nas inscrições em relação ao ano passado

A 24º edição do Festival de Cinema de Vitória (FCV) bateu recorde de inscrições. Neste ano, foram inscritas 1.048 obras, 342 a mais do que ano anterior. Esse número representa um impressionante aumento de 48% no número de filmes, em relação a 2016, que participam da seleção para a programação oficial do festival, que será realizado entre os dias 11 e 17 de setembro, no Teatro Carlos Gomes, em Vitória.

Realizadores de todas as regiões do país inscreveram suas obras, somando 23 Estados e o Distrito Federal. A maior participação é da Região Sudeste, com mais de 600 obras inscritas. As inscrições de produções capixabas dobraram do ano passado para cá, registrando 96 filmes em 2017. Entre os gêneros, o destaque é mesmo a ficção, que representa quase a metade dos filmes, com 45% dos inscritos, seguida por documentário (28%).

“O Festival de Cinema de Vitória, ao longo dessas mais de duas décadas de atuação, se consolidou no calendário nacional como uma das principais vitrines para a produção de filmes independentes. Acompanhamos esse crescimento da safra ano a ano, tanto em quantidade quanto em qualidade. Nosso objetivo é sempre montar um panorama com o melhor da produção brasileira recente”, comemora a diretora do festival, Lucia Caus.

Outro fato a ser festejado é a participação das obras realizadas por estudantes, que praticamente duplicou quando comparada a 2016: foram 315 filmes inscritos neste ano, contra 163 no ano passado. Para Lucia, esse aumento é fruto do impacto direto das novas tecnologias, que baratearam os custos e facilitaram o acesso aos meios de produção cinematográfica.

“Os estudantes têm uma participação muito forte no gênero experimental, que é encorajada pelo Festival de Cinema de Vitória, tanto que temos uma janela exclusiva para essa produção, que é a Mostra Corsária. Neste ano, ela chega a sua sexta edição”, recordou Lucia.

Neste ano, o festival vem com novidades. Além de ganhar mais um dia de atividades – de segunda a domingo -, o evento traz de volta a Mostra Nacional de Videoclipes, buscando evidenciar os diversos caminhos e experimentações presentes na atual produção desse gênero. Os 58 clipes inscritos nesta edição vão disputar a preferência do Júri Popular.

Os demais filmes selecionados serão divididos em 11 mostras, entre elas a 21ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas, a 7ª Mostra Competitiva Nacional de Longas, a 7ª Mostra Foco Capixaba e o 18º Festivalzinho de Cinema, espaço dedicado aos pequenos espectadores, com público formado por alunos da rede pública de ensino.

Estreantes na edição de 2016, a Mostra Mulheres no Cinema e a Mostra Cinema e Negritude se consolidam na programação do festival, dando ênfase à participação feminina por trás das câmeras e nas telas e nos bastidores e à temática racial, respectivamente. “Esses espaços tiveram uma excelente recepção do público no ano passado. As mostras são uma forma de o festival evidenciar o protagonismo das mulheres e dos negros no cinema e contribuir para quebrar preconceitos e estereótipos que, infelizmente, ainda existem no Brasil”, afirmou a diretora do festival.

Ao todo, o festival vai distribuir cerca de 30 troféus, além das possíveis menções honrosas. A escolha dos filmes premiados será feita por júris formados por profissionais com reconhecida atuação na área audiovisual.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome