23.1 C
Vitória
sexta-feira, 18 junho, 2021

JOSÉ
EUGÊNIO
VIEIRA

Saiba quem foi cabo Aylson Simões, que dá nome a rua de Vila Velha

Leia Também

Nascido em Vila Velha, cabo Aylson alistou-se como voluntário na 2ª guerra mundial e foi morto em combate

Seus pais eram nascidos em Vila Velha, senhor Anézio Simões e Etelvina Laranja Simões. O casal gerou 10 filhos: Walter, Zilda, Aylson, Hilton, Wanderly, Enéias,
Áurea, Ênio, Élcio e Ilma.

O Anézio era um autodidata, não fez sequer o curso primário, entretanto aprendeu a ler e possuía uma caligrafia invejável.

O homenageado Cabo Aylson, em 1945, quando da Segunda Guerra Mundial, que durou de 1939 a 1945, em que envolveu a maioria das nações do mundo, “considerado como o conflito mais mortal da história”, alistou-se como voluntário junto ao II Batalhão.

Na ocasião, tinha 17 anos e apresentou-se no 3º BC – Batalhão de Caçadores de Vila Velha, tendo sido transferido para o Rio de Janeiro, de onde partiu para a Itália, na missão da FEB – Força Expedicionária Brasileira.

Havia feito o curso ginasial da época e por essa formação acabou participando da missão inteligente do Exército.

Serviu em Pistoia – Itália, na região da Toscana, onde se localiza o Cemitério de Pistoia, que serviu para enterrar os soldados brasileiros da FEB. Só depois “é que os corpos foram transferidos para o Aterro do Flamengo”. Entretanto, nesse cemitério de Pistoia permanecem as placas com os nomes dos soldados.

Aylson faleceu na guerra quando tinha 22 anos, em combate, em 1945. Era nascido em Vila Velha em abril de 1923.

Após a sua morte, foi promovido à Major e a sua família foi beneficiária de uma pensão especial, conforme Lei nº 8.059, de 4 de julho de 1990.

Ainda houve uma decisão do governo federal que obrigou todos os municípios de dar nome aos ex-pracinhas nas ruas em que moraram e encontravam seus dependentes. Este é o caso da Rua Cabo Aylson Simões.

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Mais Endereços

Blogs e colunas