22.1 C
Vitória
quarta-feira, 6 julho, 2022

Brasileiros investem pensando na casa própria

Pesquisa aponta que, 29% das pessoas que estão investindo, pensam em adquirir um imóvel. Foto: Divulgação/Galwan

Especialistas do mercado capixaba avaliam se investir com foco na casa própria é uma boa opção

Por Amanda Amaral

Muitos sãos os planos de quem adquiri produtos financeiros e a casa própria continua em alta no interesse dos brasileiros, 29% das pessoas que estão investindo, pensam em ter um imóvel. É o que aponta uma pesquisa feita pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Em sua quinta edição, o Raio X do Investidor apontou que 29% dos brasileiros que investem dinheiro em algum produto financeiro tem como objetivo comprar a casa própria. Quando dividiu os pesquisados por renda, o sonho de ter o próprio imóvel foi citado por 34% dos integrantes das classes D e E. Entre os investidores da classe A, B e C, por exemplo, esse desejo foi apontado por 28% dos entrevistados.

Mercado Capixaba

Para o advogado e presidente da Comissão Nacional de Direito Imobiliário da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Alencar Ferrugini, os números da pesquisa refletem também o mercado capixaba.

“Pessoas que têm uma verba maior, que recebem mais, de repente já possuem a casa própria e veem a aquisição de outro imóvel como um investimento. Já as pessoas com menor renda estão, em geral, adquirindo seu primeiro imóvel, não veem como investimento e sim como moradia. Além disso, quem tem muito dinheiro e já possui sua moradia, tendo reserva financeira, consegue colocar seus investimentos em outras frentes, como bolsa de valores, compra de dólares, entre outros”.

O advogado Alencar Ferrugini é presidente da Comissão Nacional de Direito Imobiliário da OAB. Foto: Divulgação

A alta da taxa básica de juros e da inflação são alguns dos fatores que podem dificultar o acesso ao crédito. Uma pesquisa da Brain Inteligência Estratégica revelou que 38% dos entrevistados pretendem comprar um imóvel novo em 2022. O levantamento foi feito entre os dias 15 de janeiro e 1º de fevereiro deste ano com 1,2 mil pessoas de todas as regiões brasileiras.

Juros em Alta 

Ferrugini ressaltou que muitos pretendem comprar o imóvel este ano, porque, por mais que os juros ainda estejam altos, há o risco de encontrar o imóvel mais caro no final do ano.

“Raros são os casos em que há diminuição nos valores do imóvel. E, com custo da matéria-prima, do insumo do imóvel, aumentando, fatalmente esse imóvel vai ficar mais caro. Por mais que muitas vezes os juros possam diminuir, o valor do imóvel pode suplementar um valor menor de juros, tendo em vista a alta que está por vir”.

Já o especialista em fundos imobiliários e sócio da Valor Investimento, Adriano Rondeli, faz um alerta para quem pensa em adquirir produtos financeiros com o objetivo de comprar um imóvel.

Fundos Imobiliários 

“Investimento não é milagre. Vou investir tanto, aguardar vários anos, obter um rendimento absurdo e aí conseguir comprar uma casa. Não é bem assim, é um processo muito mais lento e que depende mais de economizar do que de valorizações surpreendentes”, comentou.

Uma boa opção é aplicar em fundos imobiliários, que se valorizam ao longo do tempo. “Na realidade, você está comprando um imóvel adquirindo esses fundos e eles tendem a seguir o mercado. Em Vitória tivemos 20% de valorização em um ano”, afirmou.

Adriano Rondeli é especialista em fundos imobiliários e sócio da Valor Investimento. Foto: Divulgação

Para o especialista, é necessário ter uma visão de longo prazo. “Na hora de investir é bom ter o investimento atrelado à inflação para que no futuro o capital acompanhe o imóvel, cujo valor tende a subir”, disse.

Diversificar a carteira, optar por rendimentos acima da inflação e, principalmente, poupar são as dicas de Rondeli. “Se eu tenho a intenção de comprar um imóvel, eu preciso colocar um prazo e me programar para este objetivo. A sua carteira de investimentos será montada pensando nisso. Talvez seja, pensando em médio e longo prazo, direcionando para fundos imobiliários e em investimentos atrelados à inflação”, comentou.

Afinal, vale a pena investir para um dia ter a casa própria? Para Rondeli, não. “Em uma análise de matemática financeira, não vale a pena ter um imóvel próprio. Com o seu investimento em fundos imobiliários, você tira por mês, sem imposto de renda, em torno de 0,8% com uma carteira média, caindo diretamente na sua conta. É como receber um aluguel. E se você olhar o preço do aluguel, a variação é de 0,40%”, explicou.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade