21 C
Vitória
segunda-feira, 22 DE julho DE 2024

‘Por mim, não jogaria tênis nunca mais’, diz Nick Kyrgios

Kyrgios, que teve o 13º lugar no ranking, começou a se destacar no circuito depois de vencer Rafael Nadal em 2014, no Torneio de Wimbledon

O polêmico tenista australiano Nick Kyrgios não tem mais vontade de jogar profissionalmente e só não interrompe a carreira porque acredita que seria um erro fazê-lo dessa forma, abruptamente, aos 28 anos. O desânimo está relacionado a questões pessoais, mas também a uma série de lesões sofridas nos últimos meses. Foram tantos problemas físicos que ele só disputou um jogo de outubro de 2022 até aqui. O único em 2023 foi em junho, uma derrota para o chinês Yibing Wu, em Stuttgart

“Se fosse por mim, eu não jogaria nunca mais, para ser sincero, mas tenho que seguir jogando. Ainda tenho muito para dar, mas, como eu disse, se fosse por minha vontade, não gostaria de jogar tênis nunca mais”, afirmou o tenista em entrevista ao podcast “On Purpose”.

- Continua após a publicidade -

“Estou cansado, já passei por três operações e tenho apenas 28 anos. Sempre quis formar um família e viver sem dores. Agora mesmo, não posso caminhar sem dor. Quero jogar mais um ano ou dois, estar entre os melhores, e encerrar quando me decidir. Odiaria ter de passar por outra cirurgia ou algo assim. Acredito que ainda tenho tênis para bons anos”, completou.

Kyrgios, que teve o 13º lugar como seu posto mais alto no ranking da ATP, começou a se destacar no circuito depois de vencer Rafael Nadal em 2014, no Torneio de Wimbledon. Em simples, nunca venceu um Grand Slam, mas tem quatro títulos de nível ATP 500. Ano passado, chegou à final de Wimbledon e foi derrotado por Novak Djokovic. Já como duplista foi campeão do Aberto da Austrália de 2022, ao lado do compatriota Thanasi Kokkinakis. Com informações Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 222

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA