Dengue: número de mortos quadruplica no Brasil em 2019

Foto: Reprodução

Ao menos 591 pessoas morreram de dengue no Brasil de janeiro a agosto. Minas Gerais é o Estado com maior incidência. Já o Espírito Santo é uma das capitais que está em alerta da doença

Ao menos 591 pessoas morreram de dengue no Brasil de janeiro até o dia 24 de agosto deste ano. Quatro vezes mais que no mesmo período de 2018. Os dados foram divulgados nessa quarta-feira (11) pelo Ministério da Saúde, que examina outras 486 mortes por suspeita do vírus.

A dengue é uma doença transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti e os casos diagnosticados no país multiplicaram por sete nesse período. Foram 1,4 milhão contra 205.791 do ano passado (+599,5%). Em 2018 foram registradas 141 mortes.

Apesar do aumento, a incidência da dengue se mantém abaixo dos 1,7 milhão de casos e das 986 mortes registradas em 2015. A marca mais alta da série histórica foi iniciada em 1998.

CASOS DE DENGUE NOS ESTADOS

As regiões com maior variação este ano são o Sul e o Sudeste, em que o número de casos teve um aumento de 3.225% e 1.713%. Os dados apontam mortes principalmente em pessoas acima de 60 anos. Essa população representa 29,6% dos falecidos pela doença.

Minas Gerais é o que registrou maior incidência da doença, com 2.239,3. Seguido por Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. O Estado mineiro também apresenta o maior número absoluto de casos no país: são 471.165 pessoas infectadas.

Em comparação ao ano passado, São Paulo apresentou um aumento de 3.712% nas notificações de dengue, ao registrar 437.047 contra os 11.465 casos em 2018. Já o Rio de Janeiro apresentou um crescimento de 140,2% nos casos. Passou de 13.176 para 31.648. O menor aumento da região Sudeste.

Em contrapartida, Amapá e Amazonas registraram queda nos casos prováveis de dengue em relação ao ano passado: 76,8% e 29,5% menos notificações, respectivamente.

Espírito Santo

Vitória é uma das capitais que está em estado de alerta. Só no primeiro semestre de 2019, segundo a Secretaria de Saúde (Sesa), foram registrados mais de 3.700 casos da doença. De janeiro a junho de 2018 foram 666 casos registrados. A comparação revela um aumento de 500% no número de vítimas da doença neste ano.

*Da redação, com informações do Ministério da Saúde e agências

Conteúdo Publicitário