23.3 C
Vitória
sábado, 20 abril, 2024

R$ 2,7 milhões para fortalecer o ecossistema de inovação capixaba

A chamada pública está aberta e os projetos devem priorizar o ecossistema de inovação capixaba

Por Amanda Amaral

Serão investidos R$ 2,7 milhões para o fortalecimento do ecossistema de inovação capixaba. A chamada pública está aberta e as inscrições vão até dia 08 de janeiro de 2023. Para concorrer ao apoio financeiro é necessário apresentar um projeto de atendimento para startups e empreendimentos inovadores.

- Continua após a publicidade -

A iniciativa é do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Sebrae/ES). A chamada pública faz parte do Programa de Fortalecimento dos Ambientes Promotores da Inovação, no âmbito da Mobilização Capixaba pela Inovação (MCI), e com apoio do Governo do Espírito Santo, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

Geração de startups 

O apoio financeiro de R$ 2,7 milhões será para a seleção de até dez Ambientes Promotores da Inovação (APIs) localizados no Espírito Santo. “O objetivo desta chamada pública é apoiar a geração de startups e empreendimentos inovadores, propondo para que cada API selecionado atenda a 25 negócios inovadores”, explica o gerente de Inovação e Produto do Sebrae/ES, Felipe Sardinha.

As inscrições, assim como o edital da chamada pública, estão disponíveis neste link. De acordo com o Sebrae-ES, cada API selecionado deverá elaborar um Plano de Ação que venha a atingir três metas da chamada pública.

ecossistema de inovação capixaba
O Sebrae-ES fornece apoio aos pequenos empreendedores no Espírito Santo. Foto: Divulgação/SebraeES

Metas do programa

A primeira meta, que é o atendimento inicial (sensibilização e formação), consiste na capacitação de 100 participantes em cursos e trilhas de formação, com carga horária mínima de 20 horas cada.

O objetivo é desenvolver as competências necessárias para a estruturação de startups. Já a segunda meta, que é a estruturação inicial de startups, deve atender a pelo menos 20 startups constituídas por, no mínimo, duas pessoas, contribuindo com a estruturação inicial e o desenvolvimento do processo de validação de problema e solução (problem / solution fit) que possibilite a geração de um produto mínimo viável (MVP). Nesta fase, o período de atendimento é entre três e 12 meses.

A última e terceira meta, com o desenvolvimento de startups, vai atender pelo menos cinco startups para um ciclo com duração de seis a 24 meses. Deve incluir o assessoramento e/ou capacitação em gestão de negócios, gestão da inovação, apoio para captação de recursos para PD&I, com vistas ao desenvolvimento do processo de validação e otimização do MVP junto ao mercado (product / market fit). Deve também ter como objetivo a obtenção de faturamento recorrente da startup, resultante da comercialização de produtos e/ou serviços inovadores.

Com informações do Sebrae-ES. 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA