22.9 C
Vitória
domingo, 21 abril, 2024

Mais de 947 mil veículos circulam na Grande Vitória

Vila Velha e Serra são as cidades com a maior quantidade de veículos. O crescimento da frota faz com que a mobilidade urbana se torne um desafio 

Por Patrícia Battestin

O brasileiro passa 21 dias do ano no trânsito. Esse número foi revelado pela Pesquisa de Mobilidade Urbana 2022, conduzida pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em parceria com o Sebrae. Segundo os dados da análise, quem vive nas capitais brasileiras leva em média 2 horas para chegar a lugares como trabalho, escola ou fazer compras.

- Continua após a publicidade -

A realidade nacional reflete o dia a dia do capixaba. Realizar uma tarefa cotidiana no início da manhã e fim de tarde na Grande Vitória pode demorar horas. É o que acontece com o analista financeiro Milson Soares. Morador da cidade de Serra e colaborador de uma empresa localizada em Vila Velha, ele demora mais de 1h para chegar no trabalho. “Meu horário é de 9h às 17h. De carro, eu gasto cerca de 1 hora para chegar. Pego engarrafamento na BR 101, na Terceira Ponte e Centro de Vila Velha. Quando vou de ônibus esse tempo aumenta em 30, 40 minutos”, contou Milson que leva o mesmo prazo para voltar para casa.

A dificuldade na hora de rush também faz parte da rotina do motorista de aplicativo Joel Santos. Apesar da grande procura pelo serviço prestado por ele no início do dia, ele desistiu de trabalhar neste horário. “Quando eu precisava levar um passageiro de Vila Velha para Vitória, por exemplo, perdia muito tempo para atravessar a Segunda ou Terceira Ponte. Ficava muito tempo parado no trânsito o que gerava prejuízo”, disse o motorista.

Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em dezembro de 2021 (data do último levantamento divulgado) são 2.160.432 veículos circulando no Espírito Santo. A maioria deles está na região metropolitana da Grande Vitória. A cidade que concentra a maior parte é Vila Velha, com 243.827 veículos. Na sequência aparecem Serra e Vitória, com 232.013 e 203.665 veículos respectivamente.

Com o número de carros, motos, entre outros veículos, crescente no estado a mobilidade as torna um desafio para o governo e prefeituras. Melhorar o transporte público e gerar maior condição de uso a população é um dos caminhos apontados por especialistas.

Novo Aquaviário

embarcação aquaviario
Ao todo quatro barcos atuarão na Baía de Vitória. Imagem: divulgação Semobi

Com essa premissa a implantação do novo aquaviário se tornou uma prioridade do governo do estado. O sistema operou na Grande Vitória até a década de 1990, quando foi desativado. A previsão é de que até março de 2023 três estações para embarque e desembarque estejam em funcionamento. São elas: Prainha (em Vila Velha), Enseada do Suá (em Vitória) e Porto de Santana (em Cariacica).

Ao todo quatro barcos atuarão na Baía de Vitória. Um deles chegou no estado no último mês de outubro. Ele tem capacidade para 98 passageiros e dois tripulantes. A embarcação é do tipo catamarã, está equipada com ar-condicionado, banheiro, espaço para bicicletas, acessibilidade e Wi-fi a bordo. De acordo com a Secretária Estadual de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) ela tem uma altura proposital para passar embaixo das Cinco Pontes e fazer o trajeto até Porto de Santana.

Mas haverá outro modelo, um catamarã de dois andares, com capacidade para 120 passageiros. Essa embarcação está em fase de acabamento e logo estará em Vitória. De acordo com o secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno, o Novo Aquário será mais uma opção para o capixaba realizar as tarefas diárias.

“Passa a ser mais um modo de transporte, integrado com o Transcol, integrado ao Bilhete Único, ao Cartão GV, pagando apenas uma tarifa. A gente tem na verdade um complemento do transporte público metropolitano, dando mais opções de transporte a toda população, uma melhor distribuição no trânsito, uma melhor distribuição de passageiros. E com todo esse contexto a gente vai melhorar e muito a mobilidade de toda a região”, afirmou o secretário.

Sobre as estações de embarque e desembarque, a de Porto de Santana é a que está com as obras mais adiantadas. A primeira etapa, que corresponde a parte de terra e edificação está praticamente concluída, o píer e passarela, que foram pré-fabricados, está em fase de montagem.

Na Prainha, a edificação está em fase de acabamento e na Praça do Papa, a edificação está sendo levantada.  Já a estação da Rodoviária está em fase final de aprovação de projetos devido a mudança de local. O investimento é R$ 6 milhões na construção das quatro estações.

Ponto de ônibus Inteligente

Ainda sobre o transporte público, pontos de ônibus utilizados frequentemente por bandidos como local para a prática de roubos e arrastões começaram a receber abrigos de videomonitoramento e inteligência. Três estão em funcionamento em Vitória: na avenida Nair de Azevedo, em cima do viaduto Gilson Felix e em frente ao Palácio do Governo.

A iniciativa proporciona mais segurança ao usuário do Sistema Transcol. Todos têm botão do pânico, que pode ser acionado em situações emergenciais para a comunicação com a central de videomonitoramento da Companhia Estadual de Transporte Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb).

Outros abrigos inteligentes devem ser instalados na Grande Vitória. Os locais ainda estão sendo analisados. As datas não foram divulgadas.

Terceira Ponte

ciclovia da vida
A Ciclovia da Vida, na Terceira Ponte, já está concluída. Foto: divulgação / Semobi

A Ponte Deputado Darcy Castello de Mendonça, mais conhecida como Terceira Ponte é a principal ligação entre os municípios de Vila Velha e Vitória. E o engarrafamento… Ele tira a paz de quem tenta chegar à cidade canela verde no fim do dia. “Já sei que vou perder um grande tempo para chegar na ponte e depois para passar por ela. Então eu prefiro esperar no trabalho, ou fazer compras e resolver algumas coisas em Vitória, antes de ir para minha casa em Vila Velha”, revelou a servidora pública Carla Campos.

Assim a volta para casa é adiada o tempo de descanso é reduzido. Mas uma obra que promete a ampliação da capacidade de fluxo de veículos está em andamento no local. Atualmente existem quatro faxinas ao longo da Terceira Ponte. Após a conclusão do trabalho serão seis. Três pistas no sentindo Vila Velha e três no sentido Vitória, o que segundo Fábio Damasceno irá reduzir os engarrafamentos, aumentando capacidade de trânsito da ponte em torno de 40%.

O projeto também inclui uma ciclovia, que foi concluída em outubro. Trata-se de uma estrutura metálica anexada nas laterais da ponte para a passagem de ciclistas e, ao mesmo tempo, funcionando como barreira de proteção ao suicídio. “A ciclovia é um novo modo de transporte que é a utilização da bicicleta para a travessia. E a própria proteção contra o suicídio. Por isso que a gente chama de ciclovia da vida”, reforçou Fábio Damasceno.

Neste momento a pista da ciclovia está funcionando como andaime para que sejam executados os serviços para ampliação do número de faixas. Para que o projeto seja viável, as pistas existentes ficarão mais estreitas e as proteções central e laterais também serão estreitadas. A simulação do projeto mostrou eficiência e melhoria do trânsito em todos os horários. O investimento é de R$ 127 milhões. O prazo para conclusão é maio de 2023.

Complexo Viário de Carapina

Carapina_Viaduto3
O investimento do Complexo Viário de Carapina é de R$ 76,5 milhões. Foto: divulgação / Semobi.

O capixaba também tem observado homens trabalhado na chegada da cidade de Serra. É a obra do Complexo Viário de Carapina. Com ela o trecho da Rodovia da Paneleiras, entre o viaduto da BR 101 na Serra e a Avenida Fernando Ferrari em Vitória será totalmente reformulado. Entre as intervenções que estão concluídas, o trecho de Vitória, que corresponde a reta do antigo aeroporto já conta com três faixas por sentido, além de novas calçadas, ciclovia, iluminação e drenagem.

Na Serra, na altura do viaduto de acesso à Rodovia do Contorno, as obras estão em andamento e serão implantadas quatro faixas de rolamento por sentido, além de uma faixa multiuso (também por sentido), que será utilizada para acesso às edificações e como baias de ônibus.

Também já está em andamento a construção do viaduto, que está com as fundações concluídas. Os pilares estão sendo concretados e há diversas frentes de obras, como a execução do aterro da cidade do automóvel, passeios e ciclovias na rodovia (trecho serra), remanejamento de rede elétrica, entre outros.

“O novo Trevo de Carapina vai possibilitar a retirada de um semáforo de três tempos em frente ao Apart Hospital, reduzindo o engarrafamento, melhorando muito a fluidez do trânsito naquela região. Assim como fizemos no Portal do Príncipe, ajudando a descida da Segunda Ponte e o acesso a Cinco Pontes para Vitória. Essa saída da Serra, essa ligação Serra para Vitória, vai melhorar muito com o viaduto de Carapina, com essa ampliação com viaduto, ciclovia e calçada ”, explicou o secretário.

Faz parte do projeto uma área de convivência e lazer, com 10 metros de largura no canteiro central. Parte deste trecho está concluída, com calçadas, recuperação do pavimento, nova drenagem e pavimentação. O investimento desta obra é de R$ 76,5 milhões.

Projetos futuros

Alguns projetos ainda não iniciados visam melhorar a mobilidade na Grande Vitória. A estrutura ficará às margens da BR 101, próximo ao viaduto sobre a Estrada de Ferro Vitória a Minas, da Vale. A proposta do Estado é agilizar a circulação dos ônibus e dar mais qualidade de vida a milhares de pessoas que utilizam o transporte público diariamente. “Vai trazer uma melhora significativa. Será muito mais amplo, muito mais operacional”, afirmou Damasceno.

brt vv
Projeto de como ficará o BRT VV. Foto: divulgação / Semobi

Outra proposta é o BRT Vila Velha. O canteiro central da Avenida Carlos Linderberg dará lugar a ciclovia, faixas exclusivas para ônibus e pontos de embarque e desembarque. O primeiro trecho ligará o Terminal de Jardim América, em Cariacica, até o Terminal do Ibes, em Vila Velha, com cerca de 10 km de intervenções. Segundo o secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura será o primeiro corredor exclusivo para ônibus.

Essa obra também prevê a construção de uma nova alça de acesso e saída da Segunda Ponte. Será uma alça para subida e outra para descida da ponte, em direção à Jardim América, em Cariacica. A expectativa é que encurte o tempo de viagem, não apenas para os ônibus, mas para os motoristas em geral. De acordo com a Semobi serão pelo menos três quilômetros a menos no trajeto na região, o que pode reduzir o tempo de trajeto em cerca de 20 minutos.

Outras obras

Outros projetos que não pertencem ao Governo do Estado estão em andamento. Dois deles na Serra. Um é o Contorno do Mestre Álvaro. A obra foi iniciada em 2019 e com previsão de término o fim de 2022. Porém só deve ficar pronta no próximo ano.

Em uma publicação nas redes sociais o ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, falou sobre o atraso. “A gente segue avançando nesta obra e, até o final do ano que vem, nós vamos ter essa obra finalizada”, disse Marcelo Sampaio em seu perfil do Instagram.

O motivo da nova previsão de conclusão seria falta de recursos. A estimativa era e concluir o acesso em 2022 e abrir as pistas para tráfego em março de 2023.

Ainda na Serra, no Parque de Laranjeiras, a nova rotatória do Hospital Dório Silva, a maior da Serra, conhecida como Rotatória do Ó, vai agilizar a vida de 4 mil motoristas que circulam por hora na região. A previsão é de um mergulhão na rotatória, com 150 metros, três faixas em sentido único para carros de passeio e duas faixas de mão e contramão exclusivas para o transporte coletivo.

O projeto também prevê melhorias para os pedestres, com calçada e ciclovia até o trevo da Avenida Copacabana com a Avenida Paulo Pereira Gomes, inclusive na Rotatória do Ó.

 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA