20.9 C
Vitória
quinta-feira, 21 outubro, 2021

Governo do Estado apresenta medidas de lockdown à sociedade

Em pronunciamento, governador Casagrande informou que as medidas serão adotadas quando houver superlotação dos leitos de UTI

O governo do Estado apresentou ao Ministério Público, nesta quarta-feira (10), minuta com as medidas a serem adotadas caso seja decretado o risco extremo de contaminação do novo coronavírus no Estado.

Mais à noite, por meio de coletiva de imprensa, o governador Renato Casagrande, o comandante do Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo (CBMES), coronel Alexandre dos Santos Cerqueira, e o secretário Estado de Economia e Planejamento. Álvaro Duboc, explicaram como as regras podem ser aplicadas.

Em seu discurso, Casagrande disse que enquanto as pessoas não se conscientizarem sobre a importância de ficar em casa, o vírus continua se propagando. “Fazemos um apelo às pessoas para que fiquem em casa. É importante para que as pessoas abram mão do lazer para ficar em casa. Não vão à praia, abram mão do lazer, pois é um prejuízo maior ainda para o comércio”, afirmou.

O governador disse, ainda, que a prioridade é salvar vidas. “Estamos apresentando as medidas para que possamos estabelecer o mínimo para que possamos enfrentar a pandemia que deve durar de médio a longo prazo.”, destacou.

Ele reforçou que as medidas não tem data para começar, mas elas durarão, no mínimo, 14 dias. Além disso, os cidadãos que não as respeitarem pagarão muita referente ao valor vigente no dia. Segundo o coronel Cerqueira, “o valor ainda será readequado. Será encaminhada uma proposta ao Ministério Publico para defini-lo.”, disse.

Casagrande ressaltou que as medidas podem mudar até o final da semana, pois ainda conversará com as instituições necessárias para definir as medidas. “Esse é o corpo do projeto. Ainda vamos conversar com os órgãos competentes para definirmos o que será melhor adotado”, contou.

Leitos

Cerca de 84% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estão ocupados com pacientes infectados pelo novo coronavírus. “Se chegar a 90% ou 91% de ocupação vamos adotar as medidas. Temos 36 municípios em risco alto, que poderão migrar para risco extremo. Estamos apresentando à sociedade e espero que não chegamos a esse nível, mas se chegar vamos tomar essas medidas”, pontuou o governador.

O chefe do Legislativo afirma que muitas pessoas não estão respeitando o distanciamento social. “Uma pare da sociedade ainda não compreendeu a necessidade desse isolamento, não podemos descartar o risco extremo. Se aumentar o índice de ocupação dos leitos, quem pagará a conta é atividade econômica. Temos a possibilidade de chegamos a pouco mais de 610 e abriremos em torno de 50 a 70 leitos em 15 dias”, destacou.

Medidas

De acordo com o coronel Cerqueira, as medidas foram adotadas em outros locais e deram certo. “Essas estratégias foram utilizadas em Portugal, em países da África, em Teresópolis, região serrana do Rio de Janeiro, deram muito certo. O objetivo é tirar as pessoas da rua e evitar as aglomerações”, afirmou.

Desta forma, a proibição de circulação será entre as 21 horas e 5 horas, com exceção dos serviços essenciais. A autorização de saída das pessoas nas ruas será feita em forma de rodízio, por meio do número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), será emitida no site da prefeitura do município ou Estado com carimbo e CNPJ.

Igrejas e templos religiosos poderão funcionar apenas on-line. Também ficará proibida a circulação em espaços públicos, como calçadões, parques, praias, praças de alimentação, entre outros.

Apenas um membro da família poderá sair para comprar os itens; os estabelecimentos comerciais deverão ter um cliente a cada 20 m² com afastamento de 1,5 m e com implementação de controle na entrada. Além disso, a restrição de horário de funcionamento será das 7 às 19 horas e deverão adicionar os CPFs dos clientes obrigatoriamente nas notas fiscais.

A recomendação é que crianças de até 12 anos não saiam do isolamento; as lojas de conveniências deverão ficar fechadas e restaurantes poderão funcionar apenas por meio de delivery.

Shoppings

Quanto à reabertura dos shoppings, o governador informou que não houve precipitação. “Em todo momento avançamos de acordo com a matriz de risco. Precisamos ir discutindo isso porque a uma pandemia não vai acabar no mês que vem. O vírus continuará sendo transmitido. Por isso, temos que aprender a viver com ela”, disse.

Ele ressaltou que todas as medidas estão previstas no plano de convivência com a pandemia, adotado no Espírito Santo. “Quando há fechamento ou abertura de setores, isso é previsto. Hoje temos orientações técnicas para que possamos tomar essas decisões”, observou.

Praias

O secretário Álvaro Duboc informou que a partir deste final de semana as ações serão intensificadas. “Enfrentamos uma boa etapa deste trabalho para controlar a propagação do vírus, mas aumentar. Vamos colocar os veículos do Corpo de Bombeiros circulando nas praias para orientar as pessoas a irem para casa, além de distribuir máscaras. Também teremos veículos de sonorização orientando a se isolarem em suas casas”, finalizou.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade