20.6 C
Vitória
sábado, 19 junho, 2021

“Futebol, a tragédia do Brasil”

Mais Artigos

Tudo nesse país se tornou um cavalo de guerra. Quem diria que a imprensa ideologizada e a esquerda do mais famoso país do futebol do mundo, iria se posicionar contra a realização de um jogo de futebol?

Por J.E Conti 

Fiquei chocado com a reação da Globo e do narrador Luis Roberto, deixando de lado a fleuma de substituir o Galvão Bueno, entra ao vivo, aos gritos e impropérios afirma que a Copa América é “só mais um torneio caça-níquel sem expressão … já seria ridícula sua realização em condições normais … que levou 10 meses para responder a carta da Pfizer, respondeu em 10 min que vamos fazer a Copa … não podemos aceitar essa decisão. Que os negacionistas façam caravanas a Brasília para ver a grande final, no momento apoteótico desta porcaria de competição … (e aos gritos e com a boca cheia de saliva) é uma vergonha, um acinte, um tapa na cara dos brasileiros”.

Fiquei me perguntando, por que tanto ódio por causa de um jogo de futebol no país das chuteiras? Qual o risco de mais um jogo sem público, dentre as centenas que temos todas as semanas? Será que só o fato da Globo não ter o direito de transmissão causaria tanto ódio a flor da pele?

Não foi isso que me angustiou. O que me levou ao desespero foi ver toda a esquerda deste país ser fortemente influenciada pela Globo. Foi ver que a única unanimidade deste país, o Futebol, algo intocável sob qualquer ótica, que já parou o país diversas vezes, ser de uma hora para outra, execrado como uma praga, indesejado como uma tragédia, rejeitado como uma doença incurável por todos eles.

Que poder tem essa Globo! Manda e todos obedecem. É ela quem tem a palavra final do que é bom ou do que é mal, do que é certo ou o que é errado, o que pode ou não. Mesmo que ela sempre tenha dito que futebol é a paixão nacional, agora não é mais, e todos, sim absolutamente todos da esquerda (até os apaixonados por futebol) passaram a odiá-lo com amargura de alma. Que inveja! Fez isso com a direita enquanto essa lhe foi servil e dócil. Agora faz o mesmo com a esquerda. Às favas a ideologia, o que ela quer é poder.

E apesar de todo esse poder, todo esse domínio, ela não consegue derrubar um capitãozinho do seu cargo. Que antagonismo! Um poder imensurável contra uma pequena rocha e não consegue destrui-la.

A Globo continuará com sua sanha vingativa de se tornar o maior poder de todos os tempos. Porém a mitologia já nos mostrou que todo “herói” tem seu calcanhar de Aquiles. É só uma questão de tempo.

J.E. Conti ([email protected]) é engenheiro, consultor, empresário e escritor.

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba