Findeslab: o novo espaço para inovação do ES

Findeslab: o novo espaço para inovação do Espírito Santo
O Findeslab fica na sede da Federação das Indústrias , em Vitória (Foto - Renato Cabrini)

A meta é colocar o Estado entre os promotores da inovação no Brasil

O espaço para estímulo e desenvolvimento de inovação da indústria capixaba, o Findeslab, nasce com uma meta grandiosa: gerar R$ 100 milhões em projetos e ajudar a criar e desenvolver mil startups nos próximos 10 anos. E mais: colocar o Espírito Santo entre os 10 estados mais inovadores em apenas cinco anos.

O ambiente criativo foi instalado pela Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes) no topo de sua sede, sendo inaugurado em setembro. Em um pouco mais de dois meses de operação, o hub mostra que está sendo bem aceito pela comunidade, segundo informa o presidente da Findes, Léo de Castro. “O Findeslab é o acesso das indústrias do Espírito Santo à era da inovação. Em apenas dois meses de funcionamento, foram 367 oportunidades de inovação, 3.200 visitas e 200 projetos encaminhados a 16 startups.

Findeslab: o novo espaço para inovação do Espírito Santo
O coordenador da rede de inovação digital da ArcelorMittal Aços Planos, Jardel Prata Ferreira, detalhando o desafio proposto pela empresa no programa Empreendedorismo Industrial (Foto – Divulgação)

Um detalhe: 95% das empresas atendidas são micro e pequenas. Além disso, o Findeslab hoje é um dos oito centros tecnológicos da Shell no mundo. Esses números superaram muito as nossas expectativas e mostram o êxito do projeto. O Findeslab hoje é um marco que deve inspirar a sociedade na busca pela disrupção, que é a tendência mais forte na economia atual”, pontou o gestor.

A operação do Findeslab é feita pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-ES), que é o braço do Sistema S reconhecido pela promoção da inovação para as necessidades da indústria. O Senai Nacional, por meio do Edital de Inovação para a Indústria, apoiará os projetos com recurso complementar dedicado ao desenvolvimento tecnológico.

Programa Empreendedorismo Industrial

O pontapé inicial da atuação do Findeslab no ecossistema de inovação brasileiro foi dado com a primeira chamada do programa Empreendedorismo Industrial. O movimento é a porta de entrada para conectar desafios das indústrias e demais empresas apoiadoras a soluções inovadoras desenvolvidas por startup utilizando metodologia de aceleração e conceitos de inovação. Os participantes contam com o aporte do Senai-ES e o envolvimento de vários atores do ecossistema em uma ação colaborativa.

Uma das companhias desafiantes é a Vale, que trouxe para o pleito a problemática “Transformação digital na Vale por meio de tecnologias para melhor gestão, controle, monitoramento e manutenção de equipamentos”. O gerente de Engenharia Portuária, Fabio Guastala, revela estar muito otimisma, já que foram desenvolvidas ideias que, mesmo em períodos iniciais, demonstram grande potencial de desenvolvimento em função do capital humano envolvido. “As soluções apresentadas, como video analytics, machine learning, inteligência artificial, redes neurais e outras, são comumente utilizadas, porém não nos problemas propostos, o que pode ser um grande desafio para o período de tempo do projeto considerado. E desafios são bons! Eles nos movem!”, explica.

Findeslab: o novo espaço para inovação do Espírito Santo
Há possibilidade de empresas usarem a estrutura de prototipagem (Foto – Alexandre Mendonça/Findes)

Sobre o desenvolvimento da proposta vencedora, a expectativa de Guastala é “trazer uma nova abordagem para questões bastante conhecidas das áreas operacionais e que, de fato, seja uma solução sustentável e replicável às demais áreas e negócios. Além disso, acreditamos que desafios como esses fomentam o desenvolvimento de fornecedores locais, fortalecendo o cenário econômico e o desenvolvimento capixaba”.

Meta ousada

Também empresa parceira e instigadora dentro do programa de empreendedorismo industrial, a ArcelorMittal Tubarão provocou os participantes com a temática “Transformação digital na ArcelorMittal Tubarão por meio da analítica preditiva e robótica”. O coordenador da rede de inovação digital da ArcelorMittal Aços Planos, Jardel Prata Ferreira, assume que a empresa propôs projetos audaciosos, que demandariam startups com maior maturidade, porém sua equipe ficou positivamente surpresa com a resposta de um grande número de proponentes, 17 ao todo.


“Elas [startups] chegaram muito bem preparadas do ponto de vista de soluções digitais. Aliadas ao nosso conhecimento técnico dos processos, estamos certos de que estabeleceremos parcerias muito proveitosas”, disse remetendo-se a etapa do pitch, momento que as proponentes puderam apresentar suas soluções.

E, para Ferreira, o modelo do Findeslab pode servir inspiração para a própria ArcelorMittal Tubarão. “Sabemos da complexidade de nossos processos e dos projetos demandados, mas estamos prontos para conduzir, juntos, os trabalhos para sairmos da condição de provas de conceito, passando por processos-pilotos, e, quem sabe, ao final do ciclo, já termos uma solução implantada para cada projeto, o que é uma expectativa ousada.

O modelo de mentoria e suporte aos projetos e startups montado pelo Findeslab vai proporcionar meios de aceleração dos projetos, a cada ciclo de atividades estabelecidas. Esperamos poder capturar esse modelo, adaptar nossos mindset e contribuir para a Mobilização Capixaba pela Inovação (MCI)”, conclui.

Leia também
Conteúdo Publicitário