23.8 C
Vitória
domingo, 21 DE julho DE 2024

Fifa notifica CBF sobre risco de interferência na gestão

Nas últimas semanas, uma série de movimentações nos bastidores vem tentando minar o poder de Ednaldo Rodrigues

A Fifa enviou uma notificação à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) alertando que a entidade poderá ser suspensa caso o presidente Ednaldo Rodrigues seja afastado do cargo “por influência indevida de terceiros”. E uma das primeiras consequências práticas caso isso aconteça no curto prazo pode ser a exclusão do Fluminense do Mundial de Clubes, marcado para este mês, na Arábia Saudita.

Nas últimas semanas, uma série de movimentações nos bastidores vem tentando minar o poder de Ednaldo Rodrigues. A movimentação seria liderada por dois ex-presidentes da CBF: Ricardo Teixeira e Marco Polo del Nero. Teixeira foi banido do futebol para sempre pela Fifa. Del Nero, por sua vez, recebeu punição de 20 anos da entidade máxima do futebol. O afastamento dele se encerra em 2037.

- Continua após a publicidade -

O alerta da entidade máxima do futebol cita “influência indevida de terceiros”, numa clara alusão aos cartolas afastados pela Fifa. “Neste contexto, gostaríamos de lembrar que de acordo com o art. 14 par. 1 i) e art. 19 dos Estatutos da Fifa, as associações membros da Fifa são obrigadas a gerir os seus assuntos de forma independente e sem influência indevida de terceiros. Qualquer violação destas obrigações pode levar a potenciais sanções, conforme previsto nos Estatutos da Fifa”, diz trecho do documento.

“Além disso, e em relação ao acima exposto, gostaríamos de enfatizar que quaisquer violações ao art. 14 par. 1 i) dos Estatutos da Fifa também pode levar a sanções, mesmo que a influência de terceiros não tenha sido culpa da associação membro em questão (art. 14, parágrafo 3 dos Estatutos da Fifa)”, acrescenta o texto.

A notificação foi enviada na quarta-feira e uma eventual suspensão da confederação brasileira teria efeito sobre seus filiados – o que poderia tirar o Fluminense do Mundial de Clubes

Além de Teixeira e Del Nero, um ex-vice-presidente da entidade, Gustavo Feijó, tem feito sucessivas investidas judiciais para tentar tirar Ednaldo do cargo. Feijó é aliado de Del Nero e concorreu em 2022 à presidência da CBF. Na ocasião, ele tentou suspender o pleito na Justiça até o último momento.

Segundo o estatuto da Fifa, a Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) é a única entidade reconhecida para a resolução de conflitos envolvendo clubes e associações esportivas. A Justiça comum só pode ser acionada após esgotadas todas as instâncias esportivas, e ainda assim em casos específicos.

Um dia após o recebimento da notificação, Del Nero publicou artigo no site UOL em que pede a renúncia de Ednaldo Rodrigues. “Ou quem tem poder para isso (afastar o presidente), que é a Assembleia Geral, poderia retirá-lo de lá antes que ele comprometa o futuro do futebol brasileiro como um todo”, escreveu o ex-cartola, que alega suposta má gestão financeira na CBF. Com informações Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 222

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA