19.2 C
Vitória
sexta-feira, 5 junho, 2020

Drogas: prevenção e fatores de risco

Leia Também

Prefeitura de Vila Velha e BNDES firmam parceria para modernizar parque de iluminação da cidade

Inicialmente, o sistema substituirá as 35 mil luminárias em toda a cidade, com lâmpadas com tecnologia de LED, além de telegestão, instalação de tecnologia de monitoramento remoto das luminárias.

Tendência nos anos 1960, cinema drive-in chegará a Vitória

O cinema drive-in chegará a Vitória na segunda quinzena de junho, no estacionamento da Faculdade Estacio de Sá, em Jardim Camburi.

Produtos com até 50% no Dia Livre de Impostos

E por conta da pandemia do novo coronavírus, os estabelecimentos inovaram. Neste ano, o Dia Livre de Impostos será on-line.

Sindiex tem novo presidente

Sidemar Acosta, que era o primeiro vice-presidente, passou a assumir a presidência, tendo como vices os executivos Agnaldo de Assis e Erimar Trindade.

As ações de prevenção trazem uma relação íntima com a educação, assistência social e saúde.

A primeira pergunta que talvez seja necessário fazer quando pensamos em prevenção no campo do uso de substâncias psicoativas é – O que devemos prevenir? Logo após essa pergunta, advém a próxima questão: como fazê-lo?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define “Droga” como substâncias não produzidas pelo organismo que, quando consumidas, alteram o funcionamento de um ou mais sistemas corpóreos. No caso das drogas psicoativas, ao alterarem processos orgânicos, atingem também nossas funções psicológicas, como a consciência, a memória, a atenção e o fluxo de pensamento. A manipulação (e uso) dessas substâncias é conhecida há muito tempo pela humanidade.

Nos dias atuais, as drogas são uma constante em nossas vidas, podendo citar desde o café e analgésicos, como o paracetamol, até substâncias perigosíssimas, mas legais, como os barbitúricos e opióides. Segundo dados do Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crimes (UNODC), em 2018 ocorreu um crescimento de 60% das mortes causadas diretamente pelo uso de drogas, dessas, 76% foram em decorrência do uso de medicamentos legais derivados do ópio.

O que devemos prevenir, então? O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, em sua última edição (DSM-V), criou uma categoria chamada de Transtornos Devido ao Uso de Substâncias Psicoativas, que engloba variados quadros de padecimento que podem emergir do contato com as drogas psicoativas. O termo prevenção, por sua vez, assume inúmeras facetas e significações. Tomando como referência as discussões sobre a perspectiva da promoção de saúde, a prevenção se balizará na redução dos fatores de risco e no fomento dos fatores de proteção para o contato com as drogas.

Apesar do recorte ora citado, a questão da droga atravessa diversas áreas da vida humana. Ou seja, apesar da maioria dos resultados do uso de drogas serem uma demanda de saúde, as causas e o tratamento envolvem inúmeros âmbitos de nossa vida, sendo uma questão multifatorial e complexa. Dessa forma, tratemos dos fatores de risco (que aumentam a chance de ocorrer um uso problemático com as drogas) e dos fatores de proteção (que reduzem os riscos de haver padecimento pelo uso de drogas).

Nos dias atuais, as drogas são uma constante em nossas vidas, podendo citar desde o café e analgésicos, como o paracetamol, até substâncias perigosíssimas, mas legais, como os barbitúricos e opióides.

Alguns dos mais visíveis fatores de risco são: educação negligente, vínculos familiares fragilizados, violência doméstica e traumatismos na infância. No campo dos fatores de proteção temos: vínculos familiares fortes, inserção em atividades coletivas, desenvolvimento de habilidades sociais.

As ações de prevenção, portanto, trazem uma relação íntima com a educação, a assistência social e a saúde. No âmbito da educação, a divulgação sistemática de boa informação, isenta de preconceitos e despida de tabus, mostra-se como uma primeira importante direção para a prevenção no campo das drogas. As escolas não devem se furtar a pautar o debate, munindo estudantes de base sólida sobre a temática.

O campo da assistência social tem uma considerável importância, pois o contexto sociocultural e os vínculos familiares muitas vezes sobressaem como um ponto importante de intervenção. Moradia digna, segurança alimentar, acesso a serviços assistenciais e bens culturais, saneamento básico, são elementos que despontam como ameaças ao nível geral de saúde da população e não seria diferente quando transpostas para a questão das drogas.

Sobre a saúde, importante pontuar a ampliação dos serviços de saúde mental e a facilitação do acesso a atendimento especializado. As ações de cuidado devem se integrar com as comunidades e as unidades de atendimento devem emergir como um ponto de confiança e referência. Dessa maneira, a assistência em saúde deve ampliar seu acesso e cuidado para que os menores indícios de padecimento psíquico em decorrência do uso de substância sejam vistos e acolhidos.

Diante do exposto, as ações preventivas são eficazes quando atingem sociedade, família, escola, sujeito, organizando-se com especificidades de faixa etária, raça/etnia, gênero e classe. Visando sempre a ampliação dos fatores de proteção, devem se constituir de forma longitudinal, permanente e transversal, isto é, devem partir de uma perspectiva ampliada, que, ao expandir as potencialidades dos sujeitos e comunidades, aumentem a qualidade geral de vida da população.


Getulio Sérgio Souza Pinto é Psicólogo Mestre em Psicologia Institucional, Especialista em Impactos da Violência na Saúde, autor do livro “Drogas e suas imagens: ensaios sobre a experiência com psicoativos” (2018), e Assessor Especial da Subsecretaria de Políticas Sobre Drogas da Secretaria de Estado de Direitos Humanos.

 

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

esbrasil_177
Continua após publicidade

Fique por dentro

Projeção de alta do crédito bancário em 2020 passa de 4,8% para 7,6%, diz BC

Já a projeção de crescimento do crédito livre em 2020 passou de 8,2% para 10,6%. No caso dos recursos direcionados, a projeção foi de zero para alta de 3,5%.

Adidas informa que dois terços de suas lojas em todo o mundo já reabriram

As taxas de abertura das lojas da Adidas na América do Norte e América Latina ainda estão significativamente abaixo de 50%.

Pedidos de falência no Brasil sobem 30% em maio ante abril, afirma Boa Vista

As taxas que medem os pedidos de recuperação judicial e as recuperações judiciais deferidas aumentaram bem mais na comparação mensal: 68,6% e 61,5%, respectivamente.

Campanha incentiva consumo de vestuário no Espírito Santo

A indústria têxtil sempre foi representativa na economia capixaba. Por isso, a campanha “Moda Capixaba: Eu apoio. Eu compro. Eu uso." incentiva as marcas locais e o consumidor a valorizá-la.

Vida Capixaba

Tendência nos anos 1960, cinema drive-in chegará a Vitória

O cinema drive-in chegará a Vitória na segunda quinzena de junho, no estacionamento da Faculdade Estacio de Sá, em Jardim Camburi.

Vitória organiza Circuito Cultural com exposição on-line

Os alunos do Núcleo de Fotografia do Circuito Cultural, equipamento da Secretaria Municipal de Cultura de Vitória (Semc) fizeram trabalhos que estão sendo disponibilizados por meio de uma exposição on-line. 

Vila Velha instala câmeras de alta definição em ruas

Os equipamentos serão instalados em pontos estratégicos da cidade. A primeira instalação teste com uma das novas câmeras ocorreu na última sexta-feira (29), no Farol de Santa Luzia. 

Viana contará com Guarda Municipal armada

Ao todo, 29 agentes estão sendo treinados para realizar o combate à criminalidade, na segurança do patrimônio público, e a organização do trânsito, conforme explicou o prefeito Gilson Daniel.
Continua após publicidade