22.9 C
Vitória
segunda-feira, 17 junho, 2024

Ásia: Bolsas fecham em alta (exceto Tóquio) com relaxamento da covid-zero na China

Para o mercado asiático, o que importa é que há agora um fim da política de covid-zero e uma melhora da economia à vista

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quarta-feira (30). Investidores por lá seguem otimistas com o relaxamento de restrições relacionadas à política de covid-zero da China, após protestos eclodirem em diversas metrópoles do país. Desde então, Pequim reduziu a rigidez de algumas medidas e tem tentado reprimir as reivindicações populares. Os mercados acompanharam ainda PMIs oficiais chineses, que indicaram contração da atividade do gigante asiático.

O índice Xangai Composto subiu 0,05%, a 3.151,34 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,12%, a 3 151,34 pontos. Já o Hang Seng, de Hong Kong, saltou 2,16%, a 18 597,23 pontos, apoiado por ações dos setores de consumo e tecnologia, que compensaram recuos de papéis de incorporadoras imobiliárias. Também em ritmo forte, o sul-coreano Kospi fechou com ganhos de 1,61%, a 2.472,53 pontos.

- Continua após a publicidade -

Os mercados seguem otimistas acerca de mudanças concretas para a política de covid-zero da China, após o governo do presidente Xi Jinping alterar sua comunicação e recomendações gerais para autoridades locais, enquanto acelera a vacinação de idosos e tenta suprimir os protestos contra a sua postura rígida contra a doença.

Segundo o Danske Bank, “a China chegou a um ponto em que os custos econômicos e sociais se tornaram muito grandes e agora superam os custos de saúde de uma abertura gradual, que levará ao aumento das mortes”. Para o mercado, domicílios e empresas, o que importa é que há agora um fim da política de covid-zero e uma melhora da economia à vista, ainda que depois de um período turbulento de aumento de casos, diz o banco.

Os custos econômicos da covid-19 ficaram evidentes nos índices de gerentes de compras (PMIs) oficiais para o mês de novembro, de acordo com a Capital Economics. Os dados saíram ontem à noite e mostraram contração da atividade nos setores chinesas de serviços e indústria.

“Riscos negativos continuam a crescer à medida que a situação do vírus persiste em piorar e pesará fortemente na economia até 2023”, projeta a consultoria britânica.

Exceção hoje, o índice Nikkei, de Tóquio, fechou em baixa de 0,21%, a 27.968,99 pontos. Já o taiwanês Taiex teve alta de 1,16%, a 14.879,55 pontos, e o australiano S&P/AX 200 subiu 0,43%, a 7.284,20 pontos.

Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA