Por que quase 20% da população brasileira é obesa?

Pesquisa mostra que, além dos obesos, 55,7% da população brasileira está acima do peso ideal

Pesquisa mostra que 20% das mulheres brasileiras estão acima do peso. E esse é o pior índice dos últimos 13 anos. Em 2006, 11,8% das pessoas no país estavam nessa condição.

A pesquisa foi desenvolvida pelo Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde.

Obesidade

Em 2018, 19,8% dos entrevistados eram obesos, um aumento de 18,9% se comparado aos números observados em 2006, quando 11,8% da população estava nessa condição. Segundo o Vigitel, 20,7% das mulheres são obesas, enquanto o índice é de 18,7% para as mulheres.

A obesidade é um dos problemas mais impactantes na população e, por consequência, no Sistema Único de Saúde (SUS). A doença, quando crônica, causa uma série de outros problemas que podem comprometer o seu sistema cardíaco. Além disso, causar doenças respiratórias, diminuir a sua imunidade e até mesmo causar a morte.

Sobrepeso

Além dos obesos, a pesquisa mostrou que 55,7% da população brasileira está acima do peso ideal. Os valores são medidos através do Índice de Massa Corporal (IMC), que calcula a relação entre o peso e a altura de cada indivíduo.

Os piores dados são provenientes de pessoas nas faixas etárias entre 25 e 44 anos. Os grupos de risco encontram-se nas pessoas que possuem idades entre 35 e 44 anos, onde a pesquisa apontou o pior aumento de peso.

Culpa da má alimentação?

Apesar da piora no quadro dos brasileiros, a culpa pode não ser da má alimentação. A mesma enquete mostrou também que as pessoas têm comido mais frutas e verduras. Entre 2008 e 2018, a quantidade de adultos consumidores regulares de alimentos saudáveis subiu de 20% para 23,1%.

A venda de bebidas açucaradas também diminuiu cerca de 50% e a prática de atividade física cresceu 23,7% no mesmo período. Isso indica que as pessoas têm preferido beber água ao invés de sucos e refrigerantes durante as refeições.

Infelizmente, a boa notícia não é suficiente para dar conta do aumento da obesidade. O consumo de alimentos processados também subiu e ainda é preciso que as pessoas pratiquem mais atividades físicas.

A falta de segurança e a vida agitada impedem muitas pessoas de sair do sedentarismo, mas o Ministério da Saúde e o SUS alertam para que um esforço maior seja feito. Há muitas alternativas para que se pratique exercícios a fim de evitar a obesidade.

Como mudar?

Para quem está com sobrepeso ou já no limite da obesidade, a mudança pode parecer impossível. No entanto, os médicos recomendam que essas pessoas procurem ajuda para começar.

Uma dieta balanceada e que faça a reeducação alimentar pode ser crucial na evolução da perda de peso. Muitos nutricionistas têm inclusive repudiado dietas da moda e preferido aplicar uma alimentação mais natural e livre de tantas restrições.

O exercício é preciso para todos os casos, inclusive para quem não tem excesso de peso. A dica dos especialistas é fazer pequenas mudanças no dia a dia, como preferir escadas ao elevador e caminhar mais.

Da redação, com informações de https://saudelogo.com

Conteúdo Publicitário