Prefeitura estuda projeto para transformar lixo em energia

Foto: Douglas Schneider

Com o projeto, a Prefeitura de Vitória visa economizar aproximadamente R$ 10 milhões por ano, com energia e aterro sanitário.

Pensando em economizar milhões, a Prefeitura de Vitória estuda o projeto de implantação de uma Unidade de Valorização Energética de Resíduos Sólidos Urbanos (Uver) e utilização da energia elétrica gerada para compensação do consumo próprio. A autorização foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (10). O estudo será entregue em até 60 dias para que seja publicado o edital para concessão.

A energia gerada pode ser usada para compensar o consumo energético do local de origem e de qualquer outro ponto da rede da mesma concessionária, desde que sejam pontos de consumo do mesmo consumidor, ou seja, a energia gerada pelo lixo poderá compensar o consumo em escolas, unidades de saúde, prédios públicos e iluminação pública. As diferenças entre a energia gerada e a compensada são apuradas mensalmente e os saldos são guardados por até 60 meses para ajustes nas compensações.

O prefeito de Vitória, Luciano Resende, explicou que a ideia da usina de geração de energia por meio da utilização do lixo é boa em todos os sentidos. “A usina reforça o caminho da inovação que a gestão de Vitória está trilhando em parcerias público-privadas (PPP). Os recursos necessários para a inovação e a modernização do município estão na iniciativa privada. Então, esse modelo permite que esses recursos venham para a melhor prestação de serviços à população”, contou.

Com o projeto, a Prefeitura visa economizar aproximadamente R$ 10 milhões por ano, com energia e aterro sanitário. Assim, os caminhões de lixo vão diretamente para a Uver, em vez de irem para o aterro sanitário. Cada usina transforma 300 toneladas/dia de lixo em energia elétrica e tem a capacidade de gerar 33.880 MHW/ano.

O prefeito também destacou que o lixo pode se tornar uma fonte de energia limpa que vai diminuir o gasto da Prefeitura de Vitória com energia elétrica nas suas edificações.

“Ao mesmo tempo, dá uma destinação adequada a parte do lixo produzido na cidade. Vai gerar uma economia da ordem de R$ 10 milhões por ano para a Prefeitura, melhorando a qualidade da gestão pública. Vitória terá a possibilidade de gerar energia de forma limpa através da utilização do lixo. É uma iniciativa muito avançada em alguns países da Europa e no Japão que nós temos a oportunidade agora de trazer para Vitória”, disse Luciano.

Já o secretário de Gestão, Planejamento e Comunicação, Fabrício Gandini, falou sobre a importância da iniciativa. “Essa PPP é fundamental para tornar os resíduos sólidos um ativo do município. Junto com a coleta seletiva, avançaremos muito para que Vitória seja mais sustentável e inteligente”, destacou.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome