Prefeito e vice de Mimoso do Sul têm mandatos cassados

Foto: Reprodução

Ângelo Guarçoni Junior e seu vice, Gecemar Peruzini, foram condenados em primeira instância por compra de votos

O prefeito de Mimoso do Sul, Ângelo Guarçoni Junior, conhecido como Giló, e seu vice, Gecemar Peruzini, tiveram os mandatos cassados por irregularidades na campanha. Na denúncia, eles teriam doado cadeiras para uma igreja evangélica com o objetivo de receber em troca votos dos membros da instituição.

A decisão aconteceu no dia 16 de fevereiro e a condenação foi emitida pela Procuradoria Regional Eleitoral no Espírito Santo (PRE/ES). Ambos já foram condenados em primeira instância à cassação dos diplomas de prefeito e vice-prefeito e multa no valor de 25 mil cada um.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, Giló deu R$ 270 para compra de cadeiras para a igreja evangélica Tenda dos Milagres, com o objetivo de receber em troca votos dos membros da instituição. O procurador Regional Eleitoral no Espírito Santo, Carlos Vinicius Cabeleira, explica que são vários os fatores que permitem concluir que a situação não se tratou de mero assistencialismo.

“Primeiramente, a doação das cadeiras aconteceu em pleno período eleitoral, o que já é um fator que, por si só, merece atenção. Além disso, as conversas que foram gravadas pelo denunciante deixam claro que Giló iria comparecer à igreja para ser apresentado aos fiéis como a pessoa que doou as cadeiras, o que lhe permitiria tirar proveito eleitoral da situação, já que ele nunca havia ido ao local e nem daquela religião era”, destacou o procurador.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome