Justiça autoriza casal cultivar maconha em casa

Foto: Reprodução Internet

Uso da maconha é alternativa no tratamento para diversas doenças. O cultivo e o uso da cannabis já são liberados em vários países e em alguns estados dos EUA

A Justiça do Rio de Janeiro autorizou um casal a cultivar maconha em casa para o tratamento de uma doença crônica de sua filha. A decisão confirma uma liminar concedida em dezembro do ano passado.

Margarete Brito e Marcons Lins obtiveram um habeas corpus preventivo que proíbe qualquer ato contra sua liberdade em razão do cultivo e processamento da maconha em sua residência.

Segundo laudos médicos, a menina teve redução de até 60% de suas crises convulsivas após a utilização, sob a supervisão médica, de extrato artesanal da erva.

Outra decisões judiciais parecidas têm sido proferidas pelo país. Um dos usos do canabidiol, extrato da maconha é no controle das crises convulsivas de crianças.

O produto pode ser importado, mas o custo é elevado. Desde janeiro de 2015, a Anvisa liberou o uso medicinal à base de canabidiol.

Entre 400 substâncias que compõem a cannabis, apenas duas têm comprovadamente efeitos terapêuticos: o tetrahidrocanabinol (THC) e o canabidiol.

O THC é responsável pelos efeitos conhecidos da maconha, como a vermelhidão dos olhos e alteração na percepção do tempo.

Ele é indicado para náuseas e vômitos, induzidos pela quimioterapia do câncer, e dores neuropáticas.

Já o canabidiol combate alguns dos efeitos adversos do THC e age como ansiolítico.

Um estudo da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP) mostrou que essa substância diminuiu a ansiedade de pacientes com fobia social.

Entre os países que liberam o uso médico da maconha estão Estados Unidos, Itália, Canadá, Espanha, Israel e Reino Unido.

Na Holanda, existem produtos fabricados com a própria planta in natura, cultivados pelo Ministério da Saúde e distribuído pelas farmácias.

TRATAMENTO

Entre as doenças que podem ser tratadas com a maconha medicinal estão:

AIDS

câncer

TDAH (Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade)

Esclerose múltipla

Náusea decorrente da quimioterapia

Doença de Crohn

Glaucoma

Epilepsia

Insônia

Enxaqueca

Artrite e falta de apetite

Anorexia

Síndrome de Tourette

Mal de Alzheimer

Distrofia muscular

Fibromialgia

Caquexia

Esclerose lateral amiotrófica

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome