José Dirceu encara julgamento decisivo nesta quarta-feira

José Dirceu: No mesmo dia em que o ex-presidente Lula irá depor a Moro, e ser recebido por centenas de apoiadores, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, encara julgamento decisivo no TRF-4, em Porto Alegre, sem mobilização prevista. 

A 8ª Turma do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), em Porto Alegre, irá julgar recurso de apelação de José Dirceu nesta quarta-feira (13). Caso seja negado, o ex-ministro da Casa Civil e o segundo nome mais forte do PT pode voltar à prisão.

Nesse mesmo dia, haverá o julgamento de Luiz Ignacio Lula da Silva. A diferença está no fato de que, o ex-presidente será recebido por centenas de pessoas, após seu depoimento à Justiça em Curitiba. Mas para o depoimento de Dirceu em Porto Alegre não há nenhuma mobilização prevista pela militância local.

Mobilização

No Paraná, segundo UOL, lideranças locais do PT se reuniram na terça-feira (12) para falar à imprensa sobre o ato de “solidariedade” ao ex-presidente. Lula deve contar com apoio de líderes de movimentos sociais de expressão nacional e parlamentares. Disseram esperar um público de 4 mil pessoas no ato. Em maio, no primeiro depoimento (foto ao lado) uma média de 20 mil pessoas esteve presente ao ato, após o ex-presidente sair da presença do juiz federal Sérgio Moro.

No Rio Grande do Sul, o presidente do PT local, deputado federal Pepe Vargas, afirmou que não houve conversas para a realização de atos relativos ao julgamento de Dirceu. “Não houve nenhum procedimento adotado pela militância. Não tenho conhecimento de nenhuma mobilização, nem as instâncias formais do partido debateram esse assunto”, disse Vargas ao UOL na noite de terça.

“Obviamente que a gente espera que a defesa tenha sucesso em comprovar a inocência dele, mas isso é nos autos do processo”. Vargas declarou que não há um debate interno hoje dentro do PT sobre esse tema. “O que o partido está debatendo muito é essa questão da condenação do Lula, porque entendemos que não há prova alguma”, completou.

Em Curitiba, o prédio da Justiça Federal do Paraná será isolado para o depoimento de Lula. Já no entorno do prédio do TRF-4 (ao lado), a principal alteração na rotina da região se devia à Semana Farroupilha. Os festejos homenageiam as tradições gaúchas e a Revolução, são realizados em um parque ao lado do tribunal, até o dia 20 de setembro.

O caso José Dirceu

Na ação em julgamento hoje, Dirceu foi condenado em primeira instância por Moro por ter recebido cerca de R$ 15 milhões em propina da empreiteira Engevix. Os pagamentos teriam ligação com contratos da Engevix com a Petrobras e foram feitos sob a fachada de consultorias supostamente nunca prestadas por Dirceu.

Se a condenação for confirmada pela turma, Dirceu pode ser preso novamente, mas não há obrigatoriedade em decretar a detenção. Na primeira instância, a defesa do ex-ministro pediu sua absolvição devido à “ausência de valor probatório” das delações premiadas de outros réus da ação penal, alegando contradições entre as colaborações usadas na acusação.

Dirceu foi preso preventivamente por ordem de Moro em agosto de 2015. Em maio deste ano, a 2ª Turma do STF revogou a detenção ao considerar que o petista dificilmente conseguiria interferir na Justiça.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome