27.1 C
Vitória
terça-feira, 23 abril, 2024

Vini Jr. herda a camisa 7 do Real e Rodrygo vestirá a 11 

Vini Jr. fez história no Real Madrid com a camisa 20, mesmo número que utiliza na seleção brasileira e no início de sua carreira no Flamengo

Por redação [Agência Estado]

Ao final da temporada do futebol europeu, o Real Madrid atualizou a numeração de seus jogadores para o próximo ano nesta segunda-feira. Com as saídas de nomes importantes da equipe, como Eden Hazard e Karim Benzema, Vinícius Júnior e Rodrygo, os dois brasileiros do elenco, trocaram as suas camisas. A partir da próxima temporada, eles usarão os números 7 e 11, respectivamente.

- Continua após a publicidade -

Antes de 2023/2024, Vini Jr. fez história no Real Madrid com a camisa 20, mesmo número que utiliza na seleção brasileira e no início de sua carreira no Flamengo. Foi com a numeração que ele marcou o gol do 14º título do clube da Liga dos Campeões. Ele passará a usar a camisa 7 agora, que pertencia a Hazard, mas que viveu seu auge na última década com Cristiano Ronaldo. Tem muito peso para um brasileiro usar a numeração que já pertenceu ao atacante português. Vini sabe disso e vive seu melhor momento no futebol mundial.

Rodrygo, por sua vez, deixa o número 21 e herda a camisa 11 no clube espanhol. Será a primeira vez que o atacante utiliza a numeração em sua carreira profissional. Na Copa do Mundo do Catar, ele também utilizou a camisa 21 e, no último amistoso da seleção brasileira contra Marrocos, vestiu a 10, que é de Neymar Antes dele, Marco Asensio usava a 11 no Real Madrid. Gareth Bale, tetracampeão da Liga dos Campeões League com o time de Madri, também utilizou o uniforme.

Rodrygo dá, assim, mais um passo no Real Madrid. Ele não é titular absoluto como é Vini Jr., mas é bastante aproveitado pelo técnico Carlo Ancelotti. E tem feito boas apresentações e gols importantes.

Lendária camisa 7

A camisa 7 do Real Madrid é a mais importante do clube. Desde a saída de Cristiano Ronaldo, em 2018, o número deixou de estar presente nas grandes conquistas do time. Ao herdar a numeração, Vini Jr. recoloca o uniforme em destaque no elenco, reassumindo seu protagonismo. Em abril deste ano, o jornal Sport já havia noticiado que era um plano do Real Madrid passar a camisa 7 ao atacante; à época, Vini Jr. chegou a recusar, afirmando que preferia manter o número 20 ou assumir a 11 – que passará a pertencer a Rodrygo.

Além de Cristiano Ronaldo, artilheiro máximo da história da Liga dos Campeões, o número ganhou força com Raúl Gonzalez, no fim da década de 1990 e ínício dos anos 2000. Tricampeão da competição continental, ele marcou uma era no clube merengue. Antes dele, Juanito e Butragueño, nas décadas de 1970 e 1980, também ajudaram a tornar o número em um dos mais importantes do futebol mundial.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA