22.9 C
Vitória
domingo, 29 novembro, 2020

Preços de medicamentos para hospitais recuaram 0,11% em outubro

Leia Também

Hemoes Vitória fechará mais cedo neste domingo (29)

Os capixabas que quiserem fazer doação de sangue deve ficar atentos ao funcionamento do Hemoes, que terá horário especial

Protocolos sanitários continuam valendo para o 2º turno das Eleições 2020

Eleitores de 57 cidades voltam às urnas neste domingo (29) para escolher seus prefeitos no segundo turno das Eleições Municipais de 2020.

Eleitor que não votou no primeiro turno pode e deve votar no segundo

O eleitor que não votou no primeiro turno das Eleições Municipais de 2020 pode e deve votar no segundo turno.

Foi o que apontou o Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais (IPM-H). Índice registrou uma alta de 11,36% desde o início da pandemia, período que compreende os meses de fevereiro a outubro deste ano

Por Francisco Carlos de Assis (AE)

Após terem experimentado quedas expressivas em agosto e setembro, os preços dos medicamentos para hospitais começam a dar sinais de estabilidade. Em outubro eles recuaram, em média, 0,11%, segundo o Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais (IPM-H), indicador que a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) calcula em parceria com a Bionexo – Health Tech, empresa líder em soluções digitais para gestão em saúde.

Em agosto o IPM-H registrou queda de 1,82% nos preços dos medicamentos para hospitais e em setembro, um recuo de 2,48%.

De acordo com os técnicos da Fipe, a variação de outubro foi resultado da compensação entre a alta de 6,27% registrada em grupos como aparelho digestivo e metabolismo e as quedas observadas entre outros grupos, com destaque para os preparados hormonais sistêmicos, que ficaram 3,46% mais baratos, anti-infecciosos, com diminuição de 3,31%, e sistema nervoso, que teve seu preço reduzido em 3,08%, em média.

Entre os treze grupos terapêuticos em que os medicamentos são agrupados, houve em outubro queda nos preços de oito deles. Os anti-infecciosos gerais para uso sistêmico recuaram 3,31%; os preparados hormonais sistêmicos, 3,46%; os medicamentos para sistema nervoso, 3,08%; aparelho respiratório, 1,26%; sistema musculoesquelético, 0,49%; aparelho geniturinário e hormônios sexuais, 0,41%; imunoterápicos, vacinas e antialérgicos, 0,07% e órgãos sensitivos, com ligeira queda de 0,02%.

Houve uma alta nos grupos terapêuticos de aparelho digestivo e metabolismo (6,27%), sangue e órgãos hematopoiéticos (1,76%), agentes antineoplásicos (1,36%), aparelho cardiovascular (0,36%), e outros medicamentos (0,84%).

Crescimento na pandemia

Apesar de o índice ter fechado negativo pelo terceiro mês consecutivo, o índice registrou uma alta de 11,36% desde o início da pandemia, período que compreende os meses de fevereiro a outubro deste ano. Nesse recorte, o índice superou a variação do IPCA/IBGE, que acumulou elevação de 1,68%. Mas foi superado pela variação do IGP-M, com alta de acumulada de 17,58%, e do dólar, de 29,60%.

Contribuíram para o resultado a alta no preço médio de praticamente todos os grupos de medicamentos, especialmente os atuantes no aparelho cardiovascular (60,60%), sistema nervoso (43,38%), aparelho digestivo e metabolismo (35,87%), sistema musculoesquelético (21,08%) e preparados hormonais sistêmicos (13,07%).

Entre os medicamentos que impactaram o IPM-H na pandemia estão norepinefrina (terapia cardíaca e suporte vital), fentalina (analgésico), propofol (anestésico), midazolam hipnótico/sedativo/tranquilizante), omeprazol e pantoprazol (antiácidos, tratamento de dispepsia/úlcera gástrica).

“Os principais fatores da alta do índice no período estão a desvalorização cambial, desabastecimento do mercado interno e alta na demanda nas unidades de saúde por medicamentos associados aos cuidados relacionados à covid-19”, pontuaram os técnicos da Fipe.

No acumulado em 2020, o IPM-H apresenta alta de 13,54%, e nos últimos 12 meses o avanço foi de 14,76%. Nesse recorte mais amplo, os grupos que mais impactaram na alta foram aparelho cardiovascular (58,32%); aparelho digestivo e metabolismo (58,37%) e sistema nervoso (44,81%).

Por outro lado, os grupos com menores variações foram agentes antineoplásicos/quimioterápicos (0,71%), medicamentos atuantes no aparelho geniturinário (4,84%) e aparelho respiratório (6,07%).

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Governo busca saída legal se tiver de prorrogar pagamento do auxílio

O governo terá de incorporar mais de R$ 20 bilhões de despesas com o impacto do aumento da inflação e da prorrogação

Bruno: espaço para extensão de auxílio é muito reduzido

"A medida que está reduzindo auxílio e aterrissando no Bolsa Família, a economia vai retomando", disse o secretário do Tesouro

País quer elevar comércio com a Índia, diz Guedes

"Nossos olhos brilham como vemos acordos como o da Ásia, que integram toda a região", afirmou o ministro da economia

Guedes: transformar recuperação cíclica em autossustentável

Ministro admitiu que o governo vem falhando, porque ainda não conseguiu diminuir nem 1% nesta administração. "Falha nossa"

Estudos indicam que probabilidade de 2ª onda é baixa, diz secretário

"Do ponto de vista econômico temos que garantir solidez fiscal e aumentar a produtividade", acrescentou o secretário

Projeção para PIB do 3º tri é de alta de 8,3%, diz ministério

A projeção é de alta de 1,7% na atividade agropecuária, queda de 1,1% na indústria e recuo de 4,2% em serviços

ES Brasil Digital

Capa ES Brasil 182
Continua após publicidade

Fique por dentro

Governo busca saída legal se tiver de prorrogar pagamento do auxílio

O governo terá de incorporar mais de R$ 20 bilhões de despesas com o impacto do aumento da inflação e da prorrogação

Bruno: espaço para extensão de auxílio é muito reduzido

"A medida que está reduzindo auxílio e aterrissando no Bolsa Família, a economia vai retomando", disse o secretário do Tesouro

MJ leiloa 434 cabeças de gado usado para lavagem de dinheiro

Segundo o ministério, o leilão é resultado da alienação antecipada decretada pela 7ª Vara Federal da Seção Judiciária de Mato Grosso

País quer elevar comércio com a Índia, diz Guedes

"Nossos olhos brilham como vemos acordos como o da Ásia, que integram toda a região", afirmou o ministro da economia

Vida Capixaba

Sabores da Terra: Até amanhã!

Feira sabores da terra reúne 715 empreendedores de diversos setores do Estado e fica aberta até domingo

MAES reabre com exposição Vix Estórias Capixabas

O Museu de Arte do Espírito Santo Dionísio Del Santo (MAES) reabre as portas totalmente reformado e renovado para o público capixaba, a partir da próxima quinta-feira (03)

Artesãos capixabas participam de Feria Nacional do Artesanato em BH

Oito artesãos capixabas irão participar da 31ª Feira Nacional de Artesanato de Belo Horizonte, em Minas Gerais, entre eles o mestre do congo Domingos Teixeira e o mestre Marcos Ambrósio  

Sescoop/ES comemora 21 anos

Organização crucial para a elevação dos índices de profissionalização e de gestão das sociedades cooperativas capixabas, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Espírito Santo (Sescoop/ES) completa, nesta quinta-feira (26), 21 anos de história e realizações.
Continua após publicidade