Petrobras aprova venda de gasodutos por US$ 5,2 bilhões

Conselho de Administração aprova venda ao consórcio liderado pela Brookfield, valor que corresponde a 35% da meta do plano de venda de ativos da estatal para 2016.

A Petrobras informou nesta sexta-­feira (23) que seu Conselho de Administração aprovou a venda da malha de gasodutos do Sudeste ao consórcio liderado pela empresa
canadense Brookfield por US$ 5,19 bilhões, valor que corresponde a 35% do montante de US$ 15,1 bilhões, meta do plano de venda de ativos da estatal para o período entre 2015 e 2016,

Na última terça-­feira (20), a companhia anunciou nova meta, de vender mais US$ 19,5 bilhões entre 2017 e 2018. De acordo com o gerente executivo de gás natural da companhia, Rodrigo Costa Lima, a primeira parcela dos recursos, de US$ 4,34 bilhões, deverá estar no caixa da companhia ainda este ano, enquanto os US$ 850 milhões restantes serão pagos em cinco anos.

A negociação com a Brookfield envolve 90% da Nova Transportadora do Sudeste (NTS), empresa criada em 2015 com a cisão da Transportadora Associada de Gás (TAG), subsidiária da estatal que detinha os ativos de transporte de gás natural no Brasil. Ao lado da Brookfield, compõem o consórcio o fundo de pensão British
Columbia Investment Management Corporation (BCIMC), e os fundos soberanos da China e de Cingapura.

A Petrobras permanecerá como a principal cliente da NTS, que tem 2.050 quilômetros de gasodutos e 44 pontos de entregas de gás na região Sudeste. Mas, com um novo operador, a NTS poderá buscar outros clientes no mercado, quando houver disponibilidade de capacidade de transporte. Em nota, a Petrobras anunciou que “essa operação abre oportunidades para que parcerias com outras empresas, com larga experiência e condições de investimento, contribuam para o fortalecimento da indústria de gás natural no Brasil”.

A venda também permite que a NTS participe de futuros projetos de expansão da malha brasileira de gasodutos, uma vez que a legislação veda a possibilidade de donos de gás sejam investidores em novos dutos no país De acordo com Lima, a malha da NTS continuará sendo operada pela Transpetro, subsidiária da Petrobras, por meio de um contrato de prestação de serviços, no médio prazo. A Petrobras pagará à NTS pelo transporte do gás de acordo com tarifas previstas em contrato. Lima disse que os valores são regulados e, por isso, são os mesmos pagos à NTS antes da venda. Uma outra empresa resultante da cisão da TAG, a Nova Transportadora do Nordeste (NTN), também será negociada, mas ainda não há informações detalhadas sobre a operação.

Imagem: Divulgação

Conteúdo Publicitário

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome