18.5 C
Vitória
quarta-feira, 8 julho, 2020

Obesidade e Covid-19: Quais são os riscos reais?

Leia Também

ES registra 2.156 casos confirmados e 43 mortes em 24 horas

O Espírito Santo bateu o recorde em casos confirmados do novo coronavírus: 2.156 em 24 horas. No total, o Estado tem 56.703 pacientes infectados pelo vírus.

Sicoob ES vai liberar R$ 200 milhões para produtores de café

O volume será disponibilizado mais cedo este ano, neste mês, como uma medida do Ministério da Agricultura para apoiar o setor neste momento de pandemia.

Testes rápidos aplicados em massa são um risco, diz especialista

Segundo especialista, o mais indicado para a realização de testes em massa na fase aguda da pandemia, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é o teste PCR, que detecta com quase 100% de precisão a presença do vírus já a partir do primeiro dia de contágio.

Dia Mundial do Chocolate: destaque na produção da matéria-prima no ES

O Espírito Santo produz cerca de oito mil toneladas de cacau por ano. Isso porque o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) apoia os agricultores, fomentando a produção de cacau no território capixaba.

Estudos realizados na China, na Itália e EUA evidenciam que o nível de gravidade para Covid-19 é maior naqueles com obesidade de maior grau

A obesidade, assim como a idade avançada, tem sido um dos fatores de risco da Covid-19 mais evidenciados pela mídia, pesquisas e profissionais de saúde. Nos pacientes mais jovens, ela está sendo apontada como uma das causas principais de morte ou gravidade maior em pacientes com Covid-19.

Mas seria mesmo a obesidade o maior vilão para as pessoas mais jovens?

Para fundamentar essa reflexão, nada melhor do que apresentar as evidências científicas mais recentes sobre o assunto “Obesidade e Covid-19”.

Nas edições de abril, maio e junho de 2020 do periódico Obesity, que pertence à The Obesity Society – organização internacional que é a principal sociedade profissional focada na ciência, tratamento e prevenção da obesidade no mundo – as implicações da obesidade para o tratamento da Covid-19 são amplamente discutidas. O que se pode afirmar é que pacientes com obesidade de maior grau são mais difíceis de tratar e são de maior risco por causa de fatores e vulnerabilidades como por exemplo doenças metabólicas associadas (como diabetes tipo II) e alterações na fisiologia dos pulmões e da parede torácica, além do difícil manejo das vias aéreas.

Estudos realizados na China, na Itália e EUA evidenciam que o nível de gravidade para Covid-19 é maior naqueles com obesidade de maior grau. Porém, a edição de abril da revista Obesity traz um alerta sobre o que não se está levando em consideração nessa análise: o tipo de obesidade varia em cada etnia. Nos chineses, a gordura corporal concentra-se principalmente na região visceral (no abdômen), que significa um perfil de obesidade mais tóxico, além de a prevalência de diabetes tipo II ser muito alta nos descendentes de asiáticos, semelhante ao padrão norte americano; enquanto que nos europeus, a gordura localiza-se mais na região subcutânea, representando um perfil de obesidade menos tóxico.

O que proponho é que façamos uma reflexão: se a prevalência de obesidade está tão alta no mundo todo, o que faz com que o perfil de obesidade seja mais tóxico e, portanto, torne a condição individual ainda mais séria?

Para responder isso podemos considerar dois fatores comportamentais como os mais importantes: a má alimentação e o sedentarismo.

Alimentação do tipo “padrão ocidental”, ou seja, rica em alimentos ultraprocessados e portanto, com excesso de gordura saturada e açúcar, gera mudanças na microbiota intestinal e inflamação crônica, que por sua vez alteram a imunidade inata. A inatividade física já é capaz de ocasionar perda de massa muscular após poucos dias, prejudicar a circulação de oxigênio, afetando desde o sistema cardiovascular até a função oxidativa do músculo.  O sedentarismo também contribui para reduzir a sensibilidade à insulina principalmente no músculo e aumentar a deposição de gordura corporal que está associada a inflamações sistêmicas e ativação de defesas antioxidantes, que prejudicam o sistema imunológico. Todas essas mudanças podem ocorrer muito antes do indivíduo desenvolver a obesidade!

Uma alimentação rica em vegetais, por exemplo, forma um verdadeiro escudo protetor no nosso intestino, proporcionando o que chamamos de modulação intestinal: os vegetais fornecem substratos chamados de “prebióticos”, que são os alimentos para as bactérias da microbiota intestinal, chamadas “bactérias boas”, que produzem substâncias capazes de aumentar a ativação de células do sistema imune inato e parar os processos inflamatórios no tecido adiposo e no fígado, além de reduzir a obesidade, a resistência à insulina e o diabetes.

Focar na qualidade da alimentação e manter o condicionamento físico adequado pode ser a chave do sucesso nessa luta de sobrevivência diante do risco de gravidade quando já diagnosticada a Covid-19. E diante dessa condição de isolamento social e confinamento em casa, estamos todos sendo desafiados a desenvolver mais as habilidades de cozinhar e até mesmo nos exercitar em um espaço pequeno.

Vale questionar se o foco das nossas preocupações deve ser mesmo os quilos a mais na balança de algum conhecido ou até de nós mesmos. Fazer tal juízo de valor apenas contribui para criar estereótipos e preconceito num momento que suscita mais reflexão e paciência diante das incertezas trazidas pela pandemia de Covid-19.

Portanto, não temos como fugir do desafio que nos foi imposto: melhorar nossos hábitos alimentares e de atividade física, independente de estarmos ou não numa condição de obesidade.

Patricia Moraes Ferreira Nunez é Doutora em Saúde Coletiva e pesquisadora sobre padrões alimentares e obesidade

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

esbrasil_177
Continua após publicidade

Fique por dentro

Ministérios defendem venda de refinarias após Congresso pedir bloqueio

Pastas da Economia e de Minas e Energia emitiram nota. Saiba mais!  A privatização de refinarias da Petrobras encontra aval em decisões recentes do Supremo...

Planejamento e pesquisa ajudam microempresa a ter crédito na pandemia

Cooperativas, fintechs e empresas individuais emprestam a juros baixos. Saiba mais! Um dos principais gargalos para os negócios de pequeno porte durante a pandemia da...

Caixa deposita saque emergencial do FGTS para nascidos em fevereiro

Valor será creditado nesta segunda-feira (6) pelo banco. Confira! A Caixa inicia, nesta segunda-feira (29), o pagamento do saque emergencial do Fundo de Garantia do...

O que fazer se entregou a declaração de imposto de renda com erro?

O prazo para a entrega do IRPF na última terça-feira (30). Contudo, muitos continuam preocupados pois descobriram que cometeram erros na hora do envio e querem saber como ajustar o documento.

Vida Capixaba

Shopping Vitória realiza liquidação virtual nesta semana

A RED TAG (etiqueta vermelha), uma liquidação virtual dentro da Vitrine SV, entre os dias 8 e 10 de julho.

Webinar aborda a construção em aço na era da Indústria 4.0

A webinar “Construção em aço na era da Indústria 4.0”, que será realizada nesta quinta-feira (09), a partir das 17 horas.

Como fica o tempo nesta semana no Espírito Santo? Veja!

De acordo com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), a previsão é de poucas nuvens e sem chuvas nas regiões capixabas.

Centro de Quarentena começa a funcionar em Vitória

A previsão é acolher cerca de 800 pessoas até o fim do ano. E para atender os pacientes, foi montada uma equipe com 44 profissionais, entre assistentes sociais, técnicos de enfermagem, entre outros.
Continua após publicidade