26.9 C
Vitória
sexta-feira, 5 março, 2021

O que esperar do Governo de Joe Biden nos EUA

Mais Artigos

Foto Agencia Brasil

Biden já está fazendo nomeações para o gabinete que refletem a diversidade da América

Por Abel Fiorot Loureiro

O novo presidente Joe Biden já iniciou seu mandato “sinalizando uma virada” para a situação na América, conforme sugere um artigo do New York Times. Isso não é nenhuma surpresa. A plataforma de execução de Biden está em forte contraste com a postura do governo Trump, tanto em nível ideológico quanto político. Isto está sendo demonstrado desde o primeiro dia de governo Biden, com a assinatura de diversas ordens executivas, desfazendo praticamente todas as políticas do governo Trump.

O que podemos esperar então?

Biden fará pressão por uma política de uso de máscara obrigatório em todo o país, inclusive já assinou ordem executiva a respeito. Trump havia deixado isso para que os estados e condados decidissem. Biden expressou interesse em investir pelo menos US$ 25 bilhões no programa de vacinação da Covid-19. Em comparação, Trump comprometeu pouco mais de US$ 10 bilhões. Sobre saúde, as divergências persistem. Embora Biden tenha apoiado o Affordable Care Act (popularmente conhecido como Obamacare), Trump minou o mesmo em uma ordem executiva de 2017.

Biden já está fazendo nomeações para o gabinete que refletem a diversidade da América. Na equipe de Trump tinham menos americanos negros, homossexuais e minorias. No que diz respeito ao policiamento, Biden planeja aumentar a supervisão dos departamentos de política com um registro de violações dos direitos civis. Biden também abordará as disparidades econômicas raciais, pretendendo criar mecanismos de proteções de empréstimos e moradias justas, além de estender US$ 300 milhões para diminuir as regulamentações de zoneamento discriminatórias. Ele também está motivado a estudar a questão das indenizações aos descendentes de escravos.

Biden também defende uma reabertura preventiva da economia, depois de intensificar os testes do Covid-19 em todo o país. Trump tinha uma postura diferente, empurrando os estados para abrir rapidamente, independentemente do aumento de casos de vírus. Biden apoia o aumento do salário mínimo para US$ 15 por hora e a reversão de parte dos cortes de impostos de Trump em 2017.

Biden prevê eletricidade 100% limpa em 2035 nos EUA. Enquanto Trump retirou algumas das regulamentações do presidente Obama, Biden vai reviver padrões mais rígidos delas, como: eliminar os subsídios para o petróleo, fortalecer os benchmarks de auto-emissão, pesquisar a energia nuclear. Mais notavelmente, Biden já colocou os EUA novamente no Acordo Climático de Paris, uma medida que reverterá a aversão de Trump à diplomacia climática.

Biden expressou a intenção de rescindir muitas das políticas de linha dura de Trump que, na verdade, foram fundamentais para a campanha presidencial de Trump em 2016. Biden não limitará a imigração durante a pandemia de Covid-19. Ele protegerá o DACA –  Deferred Action for Childhood Arrivals, um programa que o governo Trump decidiu encerrar. Biden se opõe à política de “tolerância zero” de Trump na travessia ilegal da fronteira, que acabou resultando em separações familiares generalizadas. Biden também planeja rescindir a proibição de viagens, uma criação das ordens executivas do governo Trump.

Em relação a metas quantitativas, podemos esperar:

  • 100 milhões de americanos deverão ser vacinados, pelo menos parcialmente, contra o coronavírus até o final de abril. Ele está confiante em “100 milhões de vacinas em 100 dias”.
  • As reservas em restaurantes e os gastos do consumidor devem voltar ao normal no final do ano de 2021.
  • A taxa de desemprego dos EUA ficará acima de 5 por cento até novembro de 2021. A projeção de consenso para a variação do PIB real é de um ganho de 4,2% em 2021, seguido de crescimento de 3,2% em 2022 e 2,4% em 2023. A mesma projeção estima que a taxa de desemprego cairá a 5,0% em 2021, 4,2% em 2022 e 3,7% em 2023.

Quando se trata de previsões, não há lugar melhor para começar do que o topo. Importante frisar que até o próprio presidente Biden reconhece que nada é certo. Nas palavras do novo presidente: “Você já conheceu alguém na história dos Estados Unidos da América que pudesse ser presidente e tivesse certeza do que o Congresso vai aprovar?”

Que Deus abençoe a América! Como sempre digo: vamos em frente!

Abel Fiorot Loureiro é consultor financeiro e professor universitário. Diretor da Leader Associates (www.leader.associates), empresa especializada em contabilidade, tributação e assessoria empresarial

ES Brasil Digital

ESBrasil-185
Continua após publicidade

Fique por dentro

Cesta básica fica mais barata em Vitória no mês de fevereiro

O levantamento do Dieese apontou que a queda foi uma das maiores registradas entre as capitais na última pesquisa.

CVM confirma investigação de ‘insider trading’ na Petrobras

Investidor desconhecido lucrou R$ 18 milhões em compra de papéis. A operação só faria sentido se ele tivesse informação privilegiada, o que é crime no Brasil desde 2001.

Produção de veículos recua 3,5% em fevereiro ante fevereiro/2020, diz Anfavea

Entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus, 197 mil veículos foram montados em fevereiro, o volume mais baixo dos últimos sete meses Por...

Ufes registra quarta cultivar de café conilon junto ao Mapa

O trabalho de pesquisa foi realizado em parceria com a UFRJ e resultou numa cultivar propícia para produção de café solúvel.

Vida Capixaba

Em documentário experimental, mulheres revelam desafios enfrentados na música

A produção audiovisual vai ao ar na próxima segunda, 8, "Dia Internacional Da Mulher"

MORENNA realiza exame do COVID para gravação de clipe

Cantora capixaba realiza exame do COVID em mais de 30 pessoas de sua equipe para poder realizar gravação de videoclipe Aposta da Warner Music como...

Crianças podem, sim, usar creme dental com flúor

É o que afirma Moysés Netto cirurgião dentista, professor universitário em odontopediatria e doutor em ciências da saúde

Condenado a 44 anos por estupro de criança em São Mateus

Caso ganhou repercussão nacional por causa de gravidez da vítima, que tinha 10 anos e é sobrinha do agressor.