24.9 C
Vitória
domingo, 14 abril, 2024

Mulheres na governança corporativa

Mulheres representam 15% dos conselhos e diretorias das companhias abertas, aponta análise do IBGC

Levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) aponta que há 15,2% de mulheres dentre os 6.160 profissionais que compuseram a amostra nos conselhos de administração, fiscais e nas diretorias das companhias de capital aberto. Trata-se da terceira edição da pesquisa “Análise da participação das mulheres em conselhos e diretorias das empresas de capital aberto”.

Ao se comparar os números com as edições anteriores, é possível notar um contínuo crescimento: em 2021, eram 12,8% de mulheres, passando para 14,3% em 2022 e atingindo 15,2% na edição atual. Para Valeria Café, diretora de Vocalização e Influência do IBGC, apesar os avanços, há um longo caminho a percorrer. “Os números mostram que as organizações precisam ser ainda mais sensibilizadas a entender que diversidade gera valor. Quando encontramos perfis diversos nos conselhos de administração, a organização tende a se beneficiar de mais pluralidade na construção de seus argumentos, mais inovação e, consequentemente de um processo de tomada de decisão com maior qualidade e segurança”.

- Continua após a publicidade -

Analisando os dados, torna-se relevante destacar que as 938 posições de liderança ocupadas por mulheres não se referem necessariamente a profissionais diferentes, uma vez que algumas delas atuam em mais de uma companhia simultaneamente.

Além disso, o estudo mostra que o baixo percentual de mulheres em posições de liderança não é exclusivo de um determinado setor, já que é observado em todas as companhias, independentemente do tipo de controle acionário ou do segmento de negócios. “Isso mostra que falta alguma coisa, apesar das questões de diversidade serem mais amplamente discutidas. Aqui no IBGC recomendamos que para que as mudanças esperadas sejam estruturais, efetivas e aceleradas, as organizações divulguem suas metas e métricas sobre diversidade, em quantidades e prazos definidos, por exemplo”, complementa Valeria.

Destaques do levantamento:

  • 389 companhias compuseram o estudo;
  • 82,5% das companhias têm alguma mulher na liderança;
  • 65,8% das companhias têm mulheres atuando no conselho de administração;
  • 52,3% das companhias têm mulheres atuando no conselho fiscal;
  • 49,2% das companhias têm mulheres atuando na diretoria;
  • 25,0% das companhias têm mulheres atuando no conselho de administração e na diretoria concomitantemente.

Sobre a pesquisa

A terceira edição da pesquisa “Análise da participação das mulheres em conselhos e diretorias das empresas de capital aberto” utilizou dados de 389 companhias, que têm, conjuntamente e ao todo, 6.160 profissionais atuando em seus conselhos de administração, conselhos fiscais, diretoria ou, concomitantemente, no conselho de administração e na diretoria.

A pesquisa foi desenvolvida a partir de informações secundárias extraídas do Portal Dados Abertos CVM. A base utilizada foi a dos Formulários de Referência de Cias Abertas (2022), datada de 23/01/2023 e extraída em 23/01/2023, que se refere ao exercício social do ano de 2021 e com dados divulgados pelas companhias abertas no Formulário de Referência (FRE) de 2022.

Sobre o IBGC

Fundado em 27 de novembro de 1995, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), organização da sociedade civil, é referência nacional e uma das principais no mundo em governança corporativa. Seu objetivo é gerar e disseminar conhecimento a respeito das melhores práticas em governança corporativa e influenciar os mais diversos agentes em sua adoção, contribuindo para o desempenho sustentável das organizações e, consequentemente, para uma sociedade melhor.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA