Eike Batista é preso ao desembarcar no Galeão

Acusado de pagar propina para Sérgio Cabral, empresário deve ser levado para presídio na Zona Norte do Rio

O empresário Eike Batista, que tinha prisão decretada desde a última quinta-feira e, por isso, era considerado foragido pela Polícia Federal, chegou ao Rio de Janeiro na manhã desta segunda-feira (30), no aeroporto do Galeão, foi preso e conduzido por agentes da Polícia Federal diretamente para o Instituto Médico Legal (IML) para realização de exames.

Eike, que teve a prisão decretada por conta da Operação Eficiência, desdobramento da Operação Lava Jato, estava nos Estados Unidos “cuidando de negócios pessoais” e chegou no voo 793 da American Airlines, que pousou às 9h54 no Galeão. Após o exame no IML, ele seguirá para o presídio Ary Franco, em Água Santa, zona Norte do Rio.

Segundo passageiros que estavam no voo, Eike Batista foi algemado quando ainda estava dentro da aeronave. O ex-bilionário teve a prisão preventiva decretada depois que dois doleiros disseram que ele pagou US$ 16,5 milhões a Sérgio Cabral, ex-governador do Rio, o equivalente a R$ 52 milhões, em propina. A prisão do empresário foi decretada pelo Juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal, na operação Eficiência.

Antes de embarcar, o empresário declarou ao repórter Felipe Santana, da TV Globo, que estava voltando para responder à Justiça e “passar as coisas a limpo”. “Estou voltando porque sinceramente vou mostrar como é que são as coisas, simples assim. Como eu estou nessa fase, me entregando à Justiça, melhor não falar nada. Depois a Justiça e o que for permitido falar, vai acontecer depois, agora não dá”, afirmou. O empresário negou que tenha cogitado fugir para a Alemanha (por conta de também ter cidadania alemã, o que evitaria uma deportação ao Brasil) e disse que viajou a Nova York a trabalho.

Imagem? Reprodução WEB

Conteúdo Publicitário

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome