Indústria tem perspectiva positiva para comemorar o Dia do Aço

Foto: Reprodução

No Dia Nacional do Aço muitas empresas destacam a data com ações importantes para o crescimento econômico

No Dia Nacional do Aço, comemorado nesta terça-feira (09), a indústria tem perspectivas positivas para comemorar: o consumo aumentou em 6,2%, reflexo do incremento de 5,8% nas vendas em relação a 2018, segundo estimativas do Instituto Aço Brasil (IABr).

A data surgiu em homenagem a criação da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), em 09 de abril de 1941, a partir do decreto de lei nº 3.002/1941, sancionado pelo ex-presidente Getúlio Vargas. A empresa é considerada a maior siderúrgica da América Latina e uma das maiores do mundo.

Atualmente, o Brasil se mantém em oitava posição no ranking de maiores produtores de aço bruto no mundo, produzindo aproximadamente 3% do aço existente em todo o planeta.

A ArcelorMittal é uma das maiores empresas que fabricam o aço, metal importante composto essencialmente de ferro e carbono e amplamente utilizado na construção civil. Para contar um pouco a importância desse material na vida das pessoas na atualidade, e como ele é produzido até onde é empregado, confira o vídeo!

Produto

Algumas empresas apostam em ações para que a produção seja feita de maneira eficaz durante todo o ano. A Mitsubishi Electric, por exemplo, destaca a importância de soluções de automação industrial na cadeia produtiva desse material.

Uma dessas ferramentas é o inversor de frequência. Utilizado em todas as etapas de produção para regular a velocidade de motores elétricos – desde o processo de mineração, passando por todos os processos de siderurgia na transformação do ferro em chapas de aço e bobinas para o uso na indústria e aço para construção civil – esse equipamento é capaz de agregar produtividade e segurança em todo o ciclo produtivo.

Inversor de frequência da Mitsubishi Eletric. – Foto: Divulgação

“Na indústria de metais pesados, é fundamental ter precisão e eficiência para evitar danos e garantir a qualidade. A versatilidade do inversor de frequência possibilita sua utilização em diversas aplicações, inclusive no transporte de duas até duzentas toneladas de aço de maneira segura e eficaz”, afirma o especialista de produto da empresa ,Renato Bedendi.

Prova disso é que hoje, esse segmento é responsável por grande parte das vendas de inversores de frequência pela companhia, em dois diferentes cenários: extração do minério de ferro e transformação do aço em peças para a indústria automotiva. Outros setores que também utilizam os inversores, são a indústria têxtil, papel e celulose, alimentício, entre outros.

Exposição

Em comemoração à data, a ArcelorMittal Tubarão receberá uma exposição de carros Baja, desenvolvidos por alunos da UVV, Faesa, e do avião do Projeto Aves, da Ufes. A mostra será realizada na área interna da empresa (Refeitórios Central, Transporte Interno e da Manutenção), das 10h30 às 14h30.

O projeto de extensão das Instituições de Ensino Superior que tem como objetivos a criação e a implementação de um veículo automotor Off Road e monoposto. O projeto é constituído por alunos de várias Engenharias (Mecânica, Civil, Elétrica e Produção), que se envolvem com um caso real de desenvolvimento do veículo desde sua concepção e projeto detalhado até a fase de construção e testes, sendo que os carros são projetados para resistir a uma pista com condições extremas de exigência mecânica.

O avião do Projeto Aves, da Ufes, será um dos que estarão expostos na ArcelorMittal Tubarão. – Foto: Divulgação

Duas vezes por ano, os carros do Vitória Baja, Poca Baja e Goiamu concorrem com projetos de todas as universidades do Brasil, e competem entre si. Essas competições são promovidas pela SAE Brasil e têm como objetivo a avaliação comparativa desses projetos. No Brasil, a competição nacional recebe o nome de Competição Baja SAE BRASIL e as regionais são nomeadas como Etapa Sul, Sudeste e Nordeste. As equipes Baja apoiadas pela ArcelorMittal Tubarão competem com mais de 80 equipes de Baja Nacionais e já ocupam posições significativas.

Formada por alunos de Engenharias Mecânica e Elétrica da Universidade, a equipe busca projetar e construir com excelência uma aeronave rádio controlada capaz de transportar o máximo de carga possível. Os alunos também participam de desafio, proposto anualmente pela SAE Brasil Aerodesign e que reúne quase 100 equipes e mais de 1300 competidores.

 

Conteúdo Publicitário