23.9 C
Vitória
quarta-feira, 19 junho, 2024

Consumo das famílias recua em fevereiro

Maior cautela das famílias com as finanças está freando o consumo.

Por Gustavo Costa

O segundo mês do ano foi de contensão de despesas para as famílias brasileiras. Foi o que apontou a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). De acordo com o levantamento, o consumo diminuiu 0,5% em relação a janeiro. Foi a terceira queda seguida no hábito de compra.

- Continua após a publicidade -

Em uma comparação com o mês anterior, fevereiro mostrou diminuição em seis dos sete componentes do ICF, sendo o único aumento verificado na avaliação sobre a renda atual, com alta de 0,3%, para 124,7 pontos.

Nos demais quesitos foram apontadas quedas: nível de consumo atual, -0,6%, para 91,8 pontos; perspectiva profissional, -1,6%, para 117,2 pontos; perspectiva de consumo, -0,7%, para 109,7 pontos; acesso ao crédito, -0,3%, para 95,3 pontos; momento para aquisição de bens de consumo duráveis, -1,1%, para 73,5 pontos; e emprego atual, -0,5%, para 127,4 pontos.

De acordo com a CNC, as informações apontam um maior cuidado para assumir compromissos. “A atenção das famílias brasileiras com o planejamento financeiro vem mostrando resultado no mercado de crédito e, apesar de enfraquecer o consumo, a intenção de compra permanece melhor do que em anos anteriores”, explicou o economista-chefe da CNC, Felipe Tavares.

No Estado, último ICF mostrou crescimento no consumo

No Espírito Santo, a pesquisa mais atual é a de 24 de janeiro. O consumo das famílias capixabas aumentou 1,2% de dezembro para janeiro. E em uma comparação com janeiro de 2023, o consumo cresceu 16,2%. Os números constam no levantamento analisado pela equipe Connect Fecomércio-ES com base nos dados da CNC.

A retomada do crescimento do ICF no Estado, segundo análise do Connect Fecomércio-ES, indica uma possível recuperação ou estabilidade no mercado de trabalho, influenciando um maior otimismo nas compras. “O aumento no índice de empregos formais pode contribuir para um ambiente mais favorável ao consumo, refletindo-se na melhoria da confiança e nas intenções de compra das famílias. Outro fator que pode ter colaborado com a melhoria na intenção de consumo é a redução da inadimplência, contribuindo para um ambiente mais favorável ao consumo, aumentando a confiança do consumidor”, falou Ana Carolina Júlio, gestora do Connect Fecomércio-ES.

Um novo levantamento sobre o consumo das famílias capixabas deve ser divulgado até a próxima sexta-feira (23).

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA