19.9 C
Vitória
sábado, 8 agosto, 2020

Celso furtado: 100 anos de seu nascimento e o legado de seu pensamento e ação política

Mais Artigos

A reforma tributária no Congresso Nacional

A reforma tributária é dos temas mais complexos a ser abordado pelos parlamentares

Iluminação pública: Vila Velha saiu na frente!

Com essa conquista Vila Velha torna-se o primeiro município do Estado a ingressar num seleto grupo de cidades brasileiras que já viram ser este o melhor caminho para uma modernização estrutural

LAVA JATO: correção de rumos ou ataque frontal?

O tabuleiro da política nacional incorporou no jogo os resultados da Operação Lava Jato, isso é inegável

Dividendos “isentos” são taxados em 34%

No Brasil, com mais de 60 tributos federais, estaduais e municipais, uma empresa gasta, em média, 62,5 dias ou 1.501 horas ao ano para pagar impostos

Celso Furtado foi uma potência intelectual

Por Rodrigo Augusto Prando

No dia 26/07 o economista Celso Furtado teria completado 100 anos. Também em julho de 1920 nasceu Florestan Fernandes o que nos leva a crer que é um ano e um mês destinado ao nascimento dos grandes, grandes nomes do pensamento brasileiro.

Celso Furtado foi uma potência intelectual. Estudou e escreveu muito sobre economia, especialmente, o subdesenvolvimento brasileiro e latino americano. Foi intelectual de escol e, ainda, homem de ação, pois lutou pelas suas ideias e interveio não apenas no debate, mas, também, na realidade nacional. Particularmente, travei contato com o nome de Furtado nos idos de 1996, no primeiro ano de Graduação em Ciências Sociais, lendo “Formação Econômica do Brasil”.

Tenho, aqui, guardadas as fichas de leitura da obra e lembro do impacto que me causou conhecer a economia brasileira à luz da interpretação furtadiana. Dos muitos comentadores de sua obra, vários o colocam no mesmo patamar dos autores da Geração de 1930: Gilberto Freyre (“Casa grande & senzala”), Caio Prado Júnior (“Formação do Brasil contemporâneo”) e Sérgio Buarque de Holanda (“Raízes do Brasil”). Em “Pensadores que inventaram o Brasil”, Fernando Henrique Cardoso afirma – acerca de Furtado – que: “Primeiro lemos A economia brasileira. Depois, a Formação econômica do Brasil.

Foi um choque enorme: passamos a ler e adivinhar o que ocorria no Brasil pela lente da economia. […] Celso Furtado fez brotar em nós a paixão pela economia”. Celso Furtado teve uma trajetória de vida superlativa e, resumidamente, pode-se destacar:  foi aprovado em concurso público como técnico em administração no Departamento do Serviço Público do Estado do Rio; forma-se em Direito; como havia cursado o CPOR (Curso de Preparação de Oficiais da Reserva) é convocado para a Força Expedicionária Brasileira e vai para a Itália, onde é feriado em batalha; cursa, posteriormente, seu Doutorado em Economia na Sorbonne; após o doutorado vai trabalhar na Cepal (Comissão Econômica para a América Latina), no Chile; desliga-se da Cepal e assume, no Brasil, diretoria do BNDE (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico); participa de grupo de estudos para formulação de uma política de desenvolvimento para o Nordeste; e nomeado superintendente da Sudene (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste); nomeado Ministro do Planejamento de João Goulart e elabora o Plano Trienal; e, ainda, leciona em várias universidades estrangeiras e profere uma ampla gama de conferências, dentro e fora do Brasil.

Teoricamente, não se pode coloca-lo no campo marxista, embora conhecesse a obra de Marx; sua postura analítica seria, segundo os especialistas, próxima de Keynes. Furtado foi conhecedor profundo do subdesenvolvimento nacional e tinha proposta para superar esse quadro. Assim, na ótica de Francisco Oliveira, em “Celso Furtado” (Coleção Grandes Cientistas Sociais) havia “o remédio – a teorização cepalino-furtadiana faz-se em função da proposição de políticas – [que] para sair do círculo vicioso do subdesenvolvimento é [necessário] industrializar-se”. O arsenal teórico de Furtado nunca foi para demonstrar erudição – que, efetivamente, ele tinha – e sim um ferramental capaz de ser aplicado na realidade e, importante enfatizar, num diálogo entre a teoria econômica e a Política, esta como a dimensão capaz de operacionalizar as ideias objetivando-se  mudar a estrutura da sociedade brasileira.

Numa conjuntura de epidemia com severa crise sanitária e econômica creio que revisitar Celso Furtado seja bem mais interessante (e urgente) do que agarrar-se num liberalismo démodé. Não bastassem as formulações teóricas e a intervenção concreta de Furtado no país, rememoro a fala de Francisco Oliveira que, certa feita, estava em trabalho de campo com Celso Furtado e este reservou – para ambos –  apenas um quarto, no hotel, com duas camas para economizar o dinheiro público que pagaria a estadia dos dois. A força ética, republicana, de Furtado faz uma falta tremenda nos dias que correm.

Para os que quiserem conhecer, panoramicamente, alguns aspectos da trajetória e obra de Celso Furtado, recomendo:

CARDOSO, F. H. Pensadores que inventaram o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional/Publifolha, 2000. Neste, ver, também, o guia de leitura de Gilson Schwartz.

OLIVEIRA, F. (Org.). Celso Furtado. Economia. Coleção Grandes Cientistas Sociais. São Paulo: Ática, 1983.

Rodrigo Augusto Prando Professor e Pesquisador da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Graduado em Ciências Sociais, Mestre e Doutor em Sociologia, pela Unesp

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Balança comercial tem superávit de US$ 8,060 bilhões em julho

O resultado de julho foi mais do que o dobro registrado no mesmo mês do ano passado, quando foi positivo em US$ 2,391 bilhões

Educação é a maior despesa dos municípios capixabas

Levantamento da 26ª edição do anuário Finanças dos Municípios Capixabas, da Aequus Consultoria, publicado em julho de 2020, traz um apanhado detalhado da gestão...

Iluminação de Vila Velha: confira resultado do leilão

O parque de iluminação pública de Vila Velha (ES) será ampliado e modernizado pelo Consórcio SRE – IP Vila Velha, pelos próximos 20 anos.

Dia dos Pais: 47,8% das pessoas comprarão presentes on-line

De acordo com uma pesquisa, 57,6% das pessoas entrevistadas pretendem celebrar o Dia dos Pais; 21,5% ainda estão na dúvida sobre comemorar ou não.

Vida Capixaba

Mostra on-line de arte e cultura em Vitória

A distância dos palcos não impediu que os alunos dos espaços culturais da Secretaria Municipal de Cultura (Semc) se apresentassem ao público em 2020. Durante...

Dia internacional da cerveja: mulheres ganham cada vez mais espaço

Apesar de ainda sofrerem preconceito, mulheres estão cada vez mais conquistando espaço no meio cervejeiro. A data é comemorada sempre na primeira sexta-feira de agosto,...

Curso gratuito de gestão

Empresa de tecnologia lançou o treinamento para formação de gestores com foco ERP devido a carência de bons gestores com capacidade para desenvolver o...

Espaço Baleia Jubarte reaberto

O Projeto Baleia Jubarte e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, junto com o Projeto TAMAR, prepararam um protocolo de segurança específico para o Espaço Baleia Jubarte e Centro de Visitantes