19.4 C
Vitória
domingo, 9 agosto, 2020

A outra face perversa da pandemia

Mais Artigos

Dividendos “isentos” são taxados em 34%

No Brasil, com mais de 60 tributos federais, estaduais e municipais, uma empresa gasta, em média, 62,5 dias ou 1.501 horas ao ano para pagar impostos

A reforma tributária no Congresso Nacional

A reforma tributária é dos temas mais complexos a ser abordado pelos parlamentares

LAVA JATO: correção de rumos ou ataque frontal?

O tabuleiro da política nacional incorporou no jogo os resultados da Operação Lava Jato, isso é inegável

Iluminação pública: Vila Velha saiu na frente!

Com essa conquista Vila Velha torna-se o primeiro município do Estado a ingressar num seleto grupo de cidades brasileiras que já viram ser este o melhor caminho para uma modernização estrutural

A maioria dos países fechou suas fronteiras para o acesso de estrangeiros

Muito já se falou sobre os efeitos desastrosos da pandemia, divulgados exaustivamente em todas as mídias, os piores deles são as mortes em todo o mundo, os hospitais lotados, a falta de unidades de terapia intensiva, as contradições da OMS, a contaminação de profissionais de saúde, crianças sem aula, comércio fechado, economia em colapso. E ainda aparecem diversos casos de corrupção em vários pontos do pais, gente sem Deus, que se aproveita do desespero para ter ganhos fáceis, motivados por desejos inconfessáveis. O inferno deve ser pouco pra eles, merecem punição exemplar aqui mesmo.

Mas eu quero chamar a atenção para um fato pouco conhecido, e que não tem recebido a atenção devida, que são os milhares de marítimos que estão confinados no seu local de trabalho, nos navios, sem poderem descer a terra nos portos de escala, tampouco desembarcar após termino de contrato para voltar para seus países, e familiares. A maioria dos países fechou suas fronteiras para o acesso de estrangeiros, entretanto, recentes portarias ministeriais, assinada por quatro Ministérios (Casa Civil, Infraestrutura, Justiça e Segurança, e Saúde), nas exceções contemplam os marítimos. Muitos deles estão há mais de um ano presos nos seus navios. Essas portarias são a 255 de 22 de maio, 319 de 20 de junho e 340 de 30 de junho. Alguns portos e terminais do Brasil insistem não permitir a troca desses profissionais, em flagrante confronto com as portarias ministeriais. E não podem desembarcar por que seus substitutos não podem vir. Esses marítimos que estão em suas casas dependem desse embarque para fazer jus ao salário, sustento próprio e de suas famílias.

Imaginem se uma grande indústria estivesse mantendo seus funcionários confinados na empresa, sem poder regressar para casa após o dia de trabalho. Certamente movimentos sociais estariam na portaria com faixas e cartazes exigindo a liberação desses trabalhadores. E é isso mesmo que está acontecendo com milhares de marítimos tripulantes de navios, e lamentavelmente, cartazes e faixas não são vistos nos oceanos.

O que temos buscado junto às autoridades envolvidas é que a troca de tripulantes seja facilitada, claro, com os devidos cuidados sanitários, porém sem impor exageros e burocracia desnecessárias que tornam a troca inviável. Os tripulantes a bordo das embarcações estão confinados nos seus navios há meses. Os que viajam são testados antes do embarque, e cumprem quarentena de 14 dias em suas cidades de origem antes de viajar. A situação fica ainda mais crítica devido a pouca oferta de vôos nacionais e internacionais. Atendi um caso que os tripulantes indianos tiveram de viajar em vôo fretado de Doha (Qatar) para Mumbai (India).

Eles podem embarcar e desembarcar sem qualquer contato com o pessoal do porto e outros trabalhadores, respeitando os protocolos. Reduzindo consideravelmente os riscos de contágio para eles e outros.

Este assunto tem sido tema constante nas reuniões da FONASBA (The Federation of National Associations of Ship Brokers and Agents, sede em Londres) em conjunto com a IMO (International Maritime Organisation), e outras entidades internacionais.
Até mesmo um video do Papa Francisco circulou na rede recentemente, onde ele demonstra preocupação e cuidado com os marítimos e pescadores em todo o mundo.

A operação dos navios, com todo o apoio de tantos profissionais envolvidos, é serviço essencial, e se mantem ativo nesse período de pandemia. Pelos navios são transportados insumos para agricultura, industria, abastecimento de produtos para lojas e supermercados. O Brasil foi descoberto pelo mar, e é inviável sem ele. Pelo mar são transportados 95% dos produtos do nosso comércio exterior.

É isso.

Waldemar Rocha Junior é Agente Marítimo, Presidente da Seção III – transporte aquaviário de cargas e passageiros da CNT, Chair do Shipping Agent Committee da FONASBA

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Balança comercial tem superávit de US$ 8,060 bilhões em julho

O resultado de julho foi mais do que o dobro registrado no mesmo mês do ano passado, quando foi positivo em US$ 2,391 bilhões

Educação é a maior despesa dos municípios capixabas

Levantamento da 26ª edição do anuário Finanças dos Municípios Capixabas, da Aequus Consultoria, publicado em julho de 2020, traz um apanhado detalhado da gestão...

Iluminação de Vila Velha: confira resultado do leilão

O parque de iluminação pública de Vila Velha (ES) será ampliado e modernizado pelo Consórcio SRE – IP Vila Velha, pelos próximos 20 anos.

Dia dos Pais: 47,8% das pessoas comprarão presentes on-line

De acordo com uma pesquisa, 57,6% das pessoas entrevistadas pretendem celebrar o Dia dos Pais; 21,5% ainda estão na dúvida sobre comemorar ou não.

Vida Capixaba

Mostra on-line de arte e cultura em Vitória

A distância dos palcos não impediu que os alunos dos espaços culturais da Secretaria Municipal de Cultura (Semc) se apresentassem ao público em 2020. Durante...

Dia internacional da cerveja: mulheres ganham cada vez mais espaço

Apesar de ainda sofrerem preconceito, mulheres estão cada vez mais conquistando espaço no meio cervejeiro. A data é comemorada sempre na primeira sexta-feira de agosto,...

Curso gratuito de gestão

Empresa de tecnologia lançou o treinamento para formação de gestores com foco ERP devido a carência de bons gestores com capacidade para desenvolver o...

Espaço Baleia Jubarte reaberto

O Projeto Baleia Jubarte e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, junto com o Projeto TAMAR, prepararam um protocolo de segurança específico para o Espaço Baleia Jubarte e Centro de Visitantes