Taxa Selic chega ao menor valor da história: 7% ao ano

taxa Selic
Foto: Divulgação/Agência Brasil

O principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial é a taxa Selic.

Pela décima vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) anunciou nessa quarta-feira (6) a taxa Selic em 0,5 ponto percentual. Passa de 7,5% para 7% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.

A Selic atinge o menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano, anteriormente o nível mais baixo da história. Então, passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Somente em outubro do ano passado, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia.

Apesar do corte, o Banco Central está afrouxando menos a política monetária. De abril a setembro, o Copom havia reduzido a Selic em 1 ponto percentual. O ritmo de corte caiu para 0,75 ponto em outubro e 0,5 ponto na reunião dessa quarta (6).

O BC informou que a inflação está se comportando como o esperado. O órgão indicou que pode continuar a cortar os juros básicos na próxima reunião do Copom, no fim de janeiro. As informações são da Agência Brasil.

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA ficou em 0,42% em outubro. Nos 12 meses terminados em outubro, o índice acumula 2,7%, abaixo do piso da meta de inflação, que é de 3%.

Crédito mais barato

A redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito. Isso incentiva a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica. Segundo o boletim Focus, os analistas econômicos projetam crescimento de 0,89% do Produto Interno Bruto em 2017.

A estimativa está superior à do último Relatório de Inflação, divulgado em setembro, no qual o BC projetava expansão da economia de 0,7% este ano.

Selic

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic). Serve de referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o Banco Central segura o excesso de demanda que pressiona os preços, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Ao reduzir os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação.