20.9 C
Vitória
quarta-feira, 12 junho, 2024

Substituto de Suárez no Grêmio, Diego Costa evita comparação

O atacante ainda criticou a falta de oportunidades no Botafogo em 2023, quando o clube perdeu o Brasileirão que já era considerado ganho

Contratado para ser o substituto de Luis Suárez, que deixou o Grêmio para jogar ao lado de Lionel Messi no Inter Miami, o atacante Diego Costa foi apresentado nesta quinta-feira e evitou as comparações com o craque uruguaio. A contratação do ex-atacante do Botafogo, que gerou alguns questionamentos por parte dos torcedores, foi defendida pelo técnico Renato Gaúcho e pelo vice-presidente do clube, Antônio Brum.

“Eu considero o Diego Costa um grande nome, talvez um dos maiores nomes entre os que vestiram a camisa do Grêmio. É surreal ele estar recebendo contestações. Ele sempre foi um dos nomes preferidos para substituir o Suárez. Quando a janela europeia fechou, fomos com tudo para fechar o negócio”, afirmou o dirigente, durante a apresentação do atacante, que falou sobre o seu ex-companheiro de Atlético de Madrid.

- Continua após a publicidade -

“Se eu fizer mais gols que o Suárez vai ter que pagar mais. Não é um peso, o Grêmio não é só Suárez, já passaram grandes atacantes, tem uma história linda em relação a ter atacantes top Isso também motiva os grandes jogadores a virem. Quando um clube tem história com atacantes com muitos êxitos, é como se fosse uma bendição, você vai para aquele clube para as coisas acontecerem. Sabemos da grandeza do Suárez, não existe comparação, fez um ano maravilhoso aqui”, afirmou.

Sobre a negociação, Diego Costa explicou. “Não tinha nenhuma dúvida sabendo da grandeza do Grêmio. Não houve dúvida em querer estar aqui. Sei que é um clube com muita história e era uma questão pessoal. Por conhecer o Renato, todos falam bem dele, podemos ter essa conversa para eu falar o que queria e ele o que esperava de mim. Foi uma conversa importante para tomar a decisão”, disse.

O atacante ainda criticou a falta de oportunidades no Botafogo no ano passado, quando o clube perdeu um Campeonato Brasileiro que já era considerado ganho. “Para fazer uma análise de desempenho, temos que ver quantos jogos eu joguei de titular no Botafogo. No Atlético-MG, as informações podem não ser coerentes Joguei bastante com o Hulk, tanto que saímos campeões. É relativo”, explicou.

Apesar de já vestir a camisa do Grêmio e iniciar os treinamentos sob o comando de Renato Gaúcho, Diego Costa evitou falar sobre a possibilidade de enfrentar o Internacional, no dia 25 de fevereiro (domingo), às 16h, no Beira-Rio, pela décima rodada do Campeonato Gaúcho. No entanto, deixou a decisão para o treinador.

“Fisicamente, eu vinha fazendo um trabalho específico em minha casa. Penso que dentro de algumas semanas estarei apto para jogar. Antes de assinar o contrato falei que precisava de tempo. Vai ser uma temporada cheia com possibilidade de fazer uma pré-temporada. Passei isso e eles aceitaram. Não é algo duradouro, estou bem. Iremos avaliando diariamente. Tudo é condicionamento. Clássico é sempre bom jogar, é uma motivação a mais, mas não podemos atropelar as fases. No dia a dia vamos conversando, se eu estiver bem e o treinador optar, vamos decidir no momento”, afirmou.

Diego Costa encontra o Grêmio na vice-liderança do Campeonato Gaúcho, com 17 pontos, dois atrás do Internacional. A expectativa é que ganhe a sua maior sequência no futebol brasileiro como titular, já que sua contratação foi justamente para substituir Luis Suárez. Com informações Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA