25.5 C
Vitória
quarta-feira, 29 maio, 2024

Rouquidão pode indicar um problema grave

Entre as sérias enfermidades está o câncer de laringe, que tem 90% de chances de cura quando descoberto precocemente

Diante do uso excessivo da voz, como quando se fala demais ou grita-se muito, é normal a rouquidão aparecer. Ela é um sinal de que houve alteração na qualidade da voz, seja na intensidade, tom ou no timbre vocal Apesar de comum, se o sintoma permanecer por duas semanas ou mais, a situação deve despertar preocupação pois pode indicar a presença de doenças, conforme alertam a Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABVL) e a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF).

Entre as sérias enfermidades está o câncer de laringe, que tem 90% de chances de cura quando descoberto precocemente. A doença é mais prevalente no público masculino e segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA) são estimados 6.570 casos em homens e 1.220 em mulheres, totalizando 7.790 casos no território nacional por ano no País.

- Continua após a publicidade -

“A rouquidão muitas vezes é negligenciada pela população, principalmente quando falamos do público masculino, que não tem o hábito de frequentar o médico constantemente como a mulher. Eles são o principal grupo de risco para esse tipo de câncer”, explica a presidente da ABLV, Adriana Hachiya.

Segundo os especialistas, além do câncer de laringe, outras doenças podem estar associadas à rouquidão, como a gripe e o resfriado, refluxo, tumores benignos e lesão nas cordas vocais, que se caracterizam principalmente pela presença de nódulos na região.

De acordo com a ABLV, a persistência da rouquidão é mais comum em pessoas que trabalham com a voz, como cantores, locutores e professores, mas não é exclusivo do grupo. Ela pode atingir qualquer um e também vir acompanhada de outros sintomas, como irritação ou dor de garganta, pigarro, tosse com ou sem secreção, sensação de que há algo preso na garganta, cansaço vocal, entre outros.

“O comportamento vocal pode influenciar o aparecimento de problemas em profissionais ou pessoas comuns. Hábitos como falar alto, sussurrado, com esforço, ou em um tom de voz que é diferente do seu tom original (mais grave ou mais agudo), bem como, falar em locais ruidosos, bem como, não tomar água, fumar ou beber, aumentam a chance de doenças que afetam a voz”, destaca a médica.

Diagnóstico e tratamento

A ABORL-CCF orienta que quando a rouquidão ultrapassar 15 dias de duração é primordial procurar um otorrinolaringologista, que é o especialista mais indicado para diagnosticar o problema. O médico vai fazer uma avaliação do histórico clínico e realizar exames como a laringoscopia, que permite observar a laringe e faringe com o auxílio de um aparelho, testes laboratoriais e fazer uma investigação radiológica e biópsia, caso necessário

“Dependendo da causa da rouquidão o médico pode indicar o uso de medicamentos, mudança de hábitos alimentares ou comportamentais ou outros recursos terapêuticos como a fonoterapia. Se houver suspeita de câncer de laringe, o paciente será encaminhado para uma biópsia. Se comprovado um câncer, será definido o melhor tratamento para o paciente, dependendo da gravidade da doença e incluir uma cirurgia endoscópica, radioterapia, quimioterapia ou cirurgias maiores como a laringectomia total”, esclarece a especialista Adriana.

Campanha

Para alertar a população sobre a importância e os cuidados necessários com o aparelho fonatório, a Academia Brasileira de Laringologia e Voz e a ABORL-CCF promovem de 13 a 19 de abril, a 26ª Campanha Nacional da Voz, que esse ano tem como mote ‘Nós cuidamos da sua voz para o mundo todo ouvir”

A semana concentra também a celebração do Dia Mundial da Voz (16 de abril) que surgiu da iniciativa da ABLV no Brasil em 1999 e tomou proporções internacionais.

“Vamos transmitir informações sobre os cuidados e prevenção de problemas com a voz para a comunidade e, principalmente, para profissionais que usam a voz como instrumento de trabalho, como cantores, apresentadores, repórteres, locutores, professores, feirantes, entre outros”, afirma a presidente da ABLV.

A campanha reúne médicos instruindo profissionais de saúde e a população sobre os sinais e sintomas, o diagnóstico e tratamentos de problemas que afetam a voz, bem como, respondendo às dúvidas em bate-papos ao vivo pelo Instagram @otorrinoevoce, canal idealizado pela ABORL-CCF para a promoção da educação em saúde, e @cuidedasuavoz, página da Campanha Nacional da Voz mantida pela ABLV.

A ação ainda conta com a participação de personalidades, entre eles o ator Miguel Falabella, e os cantores Xande de Pilares e Adriana Calcanhotto, propagando informações sobre a prevenção e o cuidado com a voz. Com informações Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA