27.1 C
Vitória
terça-feira, 30 novembro, 2021

Por que a gasolina está tão cara?

Litro de gasolina subiu R$0,15 no último mês de acordo com levantamento da Secretaria da Fazenda (Sefaz)

Por Samantha Dias 

O litro da gasolina comum subiu R$0,15 somente nos últimos 30 dias. O acompanhamento realizado pela Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) mostrou que no dia 19 de junho o motorista pagava em média R$5,93 por litro nos postos de combustíveis do Estado. No dia 18 de julho, o preço por litro estava em R$6,08. Confira o acompanhamento da Sefaz aqui.

O valor do litro de Etanol no mesmo período passou de R$ 5,10 para R$4,96, pelo levantamento da Sefaz.

Já de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), nas últimas quatro semanas no Espírito Santo (de 20 de junho a 17 de julho), o preço médio da gasolina comum passou de R$5,83 para R$5,96. Já o Etanol variou de R$5,04 para 5,09 no mesmo período.

Os preços da gasolina, do diesel e do gás de cozinha (GLP) tiveram mais um aumento nas refinarias no último dia 6 de julho. Já foram seis reajustes dos preços dos combustíveis somente em 2021. De acordo com a Petrobras, nesse último reajuste a gasolina aumentou nas refinarias, em média, R$ 0,16 (6,3%), fazendo com que o litro do combustível saia de R$ 2,53 e chegue a R$ 2,69.A gasolina sofreu aumento de 25% no primeiro semestre. De acordo com o Índice de Preços Ticket Log (IPTL), o preço médio da gasolina nos postos brasileiros avançou 25% quando comparados os valores registrados em junho de 2021 e dezembro do ano passado.

Por que a gasolina está tão cara?

O economista Mário Vasconcelos apresenta alguns motivos que ajudam a explicar por que a gasolina está tão cara. Segundo ele, as principais variáveis responsáveis por esse aumento são o preço do barril do petróleo e a variação do dólar. Em relação à primeira variável, o mercado internacional é que determina o preço do barril, não é o Brasil que pode interferir e determinar o valor. Já a valorização do dólar frente o real encarece as importações do Brasil.

“A instabilidade política interfere na volatilidade das duas variáveis e atrapalha a valorização do real”, disse o economista.

Contribuem também para o preço dos combustíveis os tributos federais e estaduais e a margem de lucro das distribuidoras. 

Na visão de Mário, infelizmente não há perspectivas no mercado de o preço dos combustíveis caírem significativamente. “Depois que o preço sobe, é muito difícil cair. Se houver redução do preço do barril do petróleo e valorização da moeda brasileira, mesmo assim os agentes dessa cadeia vão se apropriar dessa diminuição e não vão repassar ao consumidor final”.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade