22.7 C
Vitória
quinta-feira, 27 janeiro, 2022

O adeus ao Comendador

Camilo Cola
Foto: Divulgação

“Obrigado por garantir nossa liberdade na luta contra o nazismo e fascismo” declarou o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) em uma de suas redes sociais

Por Pedro Biccas Jr (Especial)

No transpassar da madrugada de sábado para domingo o Brasil perdeu um de seus últimos veteranos de guerra, o comendador Camilo Cola, que partiu desta vida em casa, sereno, de causa mortis natural. Como militar, um de seus principais feitos foi a participação na tomada de Monte Castelo, na Itália. Legado que lhe inspirava um misto de orgulho, bravura e emoção, sempre que mencionado.

Dos 25 mil ex-combatentes, agora restam vivos apenas 49 pracinhas. “Obrigado por garantir nossa liberdade na luta contra o nazismo e fascismo” declarou o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) em uma de suas redes sociais. A postagem rendeu mais de 10 mil comentários em menos de quatro horas.
Um deles destacou a participação do Sr. Camilo na FEB (Força Expedicionária Brasileira), cujo lema era “a cobra vai fumar”.
O expedicionário soldado era de uma turma diferenciada, qualificada. Para se ter ideia, seu esquadrão conseguiu a rendição e prisão de mais de 14 mil alemães, além de seus despojos.

Alguns depoimentos de amigos próximos, familiares e militares, conseguidos com exclusividade por mim, revelam um pouco mais da personalidade do bravo Camilo Cola.
Wilson Ferreira, do Colégio Militar de Porto Alegre, lutou ao lado do senhor Camilo e declarou: “o dia 21 de fevereiro de 1945 será lembrado, para sempre, como um dos mais gloriosos da história do Exército Brasileiro. Naquele dia, a conquista do Monte Castello, na Cordilheira dos Apeninos italianos, constituiu admirável exemplo da bravura, abnegação e tenacidade”.

Já o ex-prefeito da Serra Audifax Barcelos, atualmente porta-voz da Rede no Espírito Santo, admirável fã do comendador expressou sua tristeza dizendo: “lamento o falecimento do Sr. Camilo Cola, empresário fundador da Viação Itapemirim, que contribuiu para o desenvolvimento e integração do nosso país. Meus sinceros sentimentos aos familiares e amigos. Que Deus o tenha!”

A correligionária Juliana Moura, filha do nosso saudoso Gilson Moura, foi uma das pessoas que caminhou com sr. Camilo desde sempre. Frequentava com frequência os ambientes mais íntimos do comendador. Juliana nunca deixou de apoiar Camilo Cola no PMDB, posteriormente MDB e desabafa: “sr. Camilo Cola, grande empresário, produtor rural ,político, companheiro de partido. Uma lenda. Com certeza, deixará enorme legado para as futura gerações. Meus sentimentos aos amigos e familiares , é uma grande perda para nosso país.

Entre os empresários, nosso comendador também era muito querido. Nessa matéria, quem representou o setor para expressar seu pesar e descontentamento foi o cachoeirense Ruberval Rocha, que se emocionou alegando que, além de exemplo, Camilo era “amigo e conselheiro”. Destacou também a veia empreendedora do patriarca dos Cola. “Fundador do Grupo Itapemirim, que levou o nome da nossa cidade para o Brasil e para o mundo, a ele, nossa eterna gratidão!”

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade