22.7 C
Vitória
domingo, 19 maio, 2024

Inflação em março afetou menos famílias com mais renda

De acordo com levantamento do Ipea, queda do valor das passagens aéreas teve impacto no resultado

Por Gustavo Costa

As famílias com alta renda mensal (superior a R$ 21.059,92) sentiram menos o impacto da inflação em março em comparação àquelas com renda muito baixa (inferior a R$ 2.105,99).

- Continua após a publicidade -

A informação está no Indicador de Inflação por Faixa de Renda, divulgado nesta segunda-feira (15), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O peso diferentes entre as famílias pode ser explicado pelo consumo desses lares. 

Enquanto as famílias mais abastadas são mais atingidas por alterações no custo de passagens aéreas (que só em março recuaram 9,1% de preço), as mais pobres são particularmente vulneráveis aos preços de alimentos. “Geralmente, famílias com rendas mensais mais elevadas são menos afetadas pelos efeitos da inflação, pois não destinam toda a sua renda ao consumo imediato. Ao investir parte de seu patrimônio, esses grupos mais abastados conseguem se proteger contra o aumento dos preços ao longo do tempo”, falou Marcel Lima, conselheiro do Comitê Qualificado de Conteúdo de Finanças do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef).

Diferença nos gastos aponta separação entre as classes

De acordo com Lima, o padrão de consumo também desempenha um papel crucial. “Proporcionalmente à sua renda, as famílias de menor poder aquisitivo gastam uma maior parte de seu orçamento em alimentos, que recentemente registraram significativas altas de preço, influenciadas principalmente pelos impactos adversos do fenômeno El Niño na produção agrícola”, disse.

O conselheiro lembrou que além da redução nos custos de passagens aéreas em março, também foi verificada a estabilização das mensalidades escolares após os reajustes de fevereiro, fazendo com que as famílias mais ricas experimentaram um impacto menor da inflação em seus orçamentos. 

Março contrariou o acumulado dos últimos 12 meses, quando foi notada uma inversão. Neste cenário anual, as famílias de renda menor tiveram um aumento de 3,25% no custo de vida, enquanto aquelas com renda alta tiveram inflação de 4,77%.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA