22.1 C
Vitória
sexta-feira, 3 dezembro, 2021

O dólar comercial caiu 0,88% e alcança R$ 4,9994 na compra

Ibovespa sobe 4,9% e recupera os 74 mil pontos com correção e pacote de Trump

O Ibovespa fechou em forte alta nesta terça-feira (17) impulsionado por uma correção depois das fortes perdas da véspera e acompanhando as bolsas americanas após o anúncio de que o governo dos Estados Unidos está trabalhando para passar no Congresso um imenso programa de estímulos de US$ 850 bilhões que envolve até mesmo o envio direto de dinheiro para as famílias.

Segundo o presidente dos EUA, Donald Trump, os parlamentares estão “entusiasmados” com as medidas.

O Ibovespa subiu 4,85% a 74.617 pontos com volume financeiro negociado de R$ 35,8 bilhões. Enquanto isso, o dólar comercial caiu 0,88% a R$ 4,9994 na compra e a R$ 5,0024 na venda. O dólar futuro para abril sobe 0,19%, para R$ 5,004.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 registrou baixa de 50 pontos-base a 4,49%, o DI para janeiro de 2023 teve queda de 57 pontos-base a 5,43% e o DI para janeiro de 2025 perdeu 47 pontos-base a 6,63%.

Hoje também houve mais uma etapa do programa de estímulos do Federal Reserve, que anunciou uma injeção de US$ 500 bilhões no sistema financeiro dos EUA para conter problemas de financiamento associados aos efeitos do coronavírus, através de suas operações de recompras de títulos (repo). Na semana passada, a autoridade monetária já havia anunciado uma operação do tipo, que totalizou US$ 1,5 trilhão.

Por aqui, no dia em que foi confirmada a primeira morte por coronavírus, o ministro da Economia, Paulo Guedes, lançou um pacote de medidas para tentar reduzir os impactos da pandemia na atividade do país.

De acordo com o plano, serão empregados R$ 147,3 bilhões em medidas emergenciais para atender grupos mais vulneráveis da população e setores específicos da economia.
Deste montante, R$ 83,4 bilhões serão destinados ao primeiro grupo, com medidas como a antecipação do 13º de aposentados, já divulgada na última sexta-feira (13), e a transferência de valores não sacados do PIS/Pasep para o FGTS, para permitir novos saques.

Já o segundo grupo ficará com os R$ 59,4 bilhões, a partir de políticas como o diferimento do prazo de pagamento do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) por 3 meses, assim como o diferimento da parte da União no Simples Nacional por 3 meses. Para combate à pandemia, foram destinados R$ 4,5 bilhões, com a destinação do saldo do fundo do DPVAT para o SUS.

No entanto, economistas têm analisado que as medidas não serão o bastante para blindar a economia brasileira dos efeitos nefastos da disseminação da Covid-19.

De acordo com a análise de Marcos Ross, economista sênior da XP, o alcance dos estímulos deve ser limitado. “Entendemos que seja uma primeira tentativa e que ela aponta na direção correta, mas temos diversas considerações com relação ao efeito total dela, uma vez que quase sua totalidade não configura como fonte nova de recurso, mas sim um rearranjo intertemporal deles”, escreveu Ross em relatório.

Vale ficar atento também ao primeiro dia de reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). A curva de juros fechou ontem precificando corte de 0,50 ponto da Selic na reunião, que anuncia sua decisão nesta quarta-feira; apostas aumentaram após Fed ter cortado sua taxa em 1 ponto percentual (veja mais clicando aqui).

*Da redação, com informações InfoMoney

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade