Entreposto da Zona Franca de Manaus começa a operar em Cariacica

O primeiro cliente do entreposto é a Daikin Ar Condicionado Brasil. Na solenidade de inauguração, houve uma visita às instalações.

Perspectiva é de que até dez indústrias de Manaus armazenem seus produtos no Estado até dezembro

O entreposto da Zona Franca de Manaus no Espírito Santo iniciou as suas operações com armazenamento de produtos. O primeiro cliente é a Daikin Ar Condicionado Brasil, multinacional pertencente ao grupo japonês de mesmo nome e que já utiliza o centro de distribuição capixaba para armazenar equipamentos da sua linha residencial.

O início das operações foi marcado por uma solenidade que reuniu nesta terça-feira (28), autoridades públicas e empresários nas instalações do Terca – empresa de armazenagem vencedora da licitação para receber os produtos de Manaus, em Cariacica.

Participaram o governador do Estado do Espírito Santo, Paulo Hartung; o secretário de Estado de Desenvolvimento, José Eduardo Faria de Azevedo; o prefeito de Cariacica, Geraldo Luzia de Oliveira Junior; o presidente do Grupo Cotia, do qual faz parte o Terca, Eduardo Mangabeira Albernaz; e o vice-presidente da Daikin no Brasil, Norihisa Kitamura.

O executivo japonês destacou a importância do entreposto capixaba para a Daikin, que conseguirá, a partir de agora, atender a um maior número de clientes. “Para entregar um produto para um cliente em São Paulo, tínhamos que reunir uma certa quantidade, pois ficava difícil enviar poucas unidades. Com o entreposto aqui no Espírito Santo, conseguimos atender às necessidades de vários clientes, portanto, para nós, Daikin, este é um local muito importante”, ressaltou.

Norihisa Kitamura enfatizou que a Daikin tem sua matriz no Japão e fábricas em mais de 90 países. “Aqui, a Daikin ainda é uma marca não muito famosa. Somos conhecidos principalmente na Ásia e na Europa e vendemos nossos produtos em mais de 150 países. Estamos felizes, pois nos esforçamos para crescer mais no Brasil”, finalizou.

Transporte por cabotagem e operação moderna

O contrato do Terca com a Daikin tem duração inicial de 24 meses. O superintendente da empresa, Sidemar de Lima Acosta, explicou que os produtos são enviados pela fábrica da Daikin na Zona Franca de Manaus via cabotagem até o Porto de Vitória. A partir daí, seguem em contêineres para o entreposto, em Cariacica, onde ficam armazenados até a venda. A entrega, então, pode ser realizada para todo o Brasil.

“O Espírito Santo tem uma vocação logística e é estratégico na costa brasileira. Estamos a um raio de mil quilômetros do maior PIB do Brasil e a quinhentos quilômetros do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte. A partir de agora, o centro consumidor da Daikin está perto de Manaus através do entreposto da Zona Franca aqui em Cariacica”, afirmou Sidemar de Lima Acosta.

O superintendente do Terca acrescentou que o modelo da operação no centro de distribuição é moderno, com o que há de melhor em infraestrutura tecnológica e em processos para facilitar o entendimento entre a indústria e o entreposto. “No polo da Zona Franca de Manaus existem mais de 500 indústrias ativas de diversos segmentos. A gente espera o maior número possível dessas indústrias em território capixaba. Estamos com muita expectativa, pois há vários contratos em andamento. Até o final do ano, esperamos fechar contratos com cerca de dez indústrias”.

Governo do Estado ressalta emprego e competitividade

Durante a solenidade que marcou o início das operações do entreposto da Zona Franca de Manaus em território capixaba, o governado do Espírito Santo, Paulo Hartung, destacou o trabalho feito pelo Estado para melhorar a competitividade e a vinda de mais empresas, que irá possibilitar a criação de novas oportunidades para o Espírito Santo.

“Estou feliz por estar celebrando essa conquista importante, esse centro de distribuição. Esperamos que esta seja a primeira de muitas empresas e que a Daikin olhe o Espírito Santo com outras oportunidades que o Estado oferece para o desenvolvimento das empresas. Nós temos que seguir em frente, melhorar a infraestrutura, melhorar a educação do nosso Estado e criar as bases para que o Espírito Santo possa continuar sendo um diferencial no nosso País”, disse.

Para o secretário estadual de Desenvolvimento, José Eduardo Azevedo, dentre os impactos com o funcionamento do entreposto estão a geração de empregos e a movimentação de toda a cadeia de logística do Estado. Para entrar em operação, a partir do contrato com a Daikin, foram 48 empregos diretos. “Outro impacto é o aumento do número de ofertas por linhas marítimas. Isso reduz o custo para toda a economia e ajuda o Estado a ficar mais competitivo. Essa movimentação, junto com o polo da Zona Franca de Manaus, vai retomando a nossa realidade de Estado forte na área de Logística e melhorando nossas condições para o Comércio Internacional”, acentuou.

O superintendente do Terca, Sidemar de Lima Acosta, completou destacando que os negócios gerados a partir do funcionamento do entreposto irão beneficiar os setores de Cabotagem, Transporte e Armazenagem em geral, além de proporcionar melhor condição logística para as empresas da Zona Franca de Manaus, reduzindo custos e prazos de entrega dos produtos. “Até o fim no ano, com a chegada de novas indústrias ao entreposto, iremos aumentar a mão de obra de vinte a trinta colaboradores, especialmente para conferentes e operadores de empilhadeira”, afirmou.

Sobre o entreposto

O entreposto da Zona Franca de Manaus no Espírito Santo está localizado numa área de 31 mil metros quadrados, com armazém com estrutura verticalizada, docas elevadas, Sistema de Gerenciamento de Estoque (WMS) integrado ao cliente – que proporciona o gerenciamento em tempo real de seu estoque e movimentação. Os processos documentados são certificados pela norma ISO 9001/2015, seguindo os princípios da metodologia Lean Warehouse, que garante aos clientes o cumprimento dos padrões estabelecidos com qualidade e eficiência em seus processos.

Um dos atrativos do polo de distribuição é a suspensão dos impostos na saída dos produtos de Manaus, por até 180 dias que permanecerem armazenados em solo capixaba, sendo pagos apenas quando os produtos deixarem o entreposto. A localização do Estado é outro diferencial, estando localizado a 15 quilômetros do Aeroporto de Vitória (Eurico Sales) e a 24 quilômetros do Complexo Portuário da Grande Vitória, proporcionando opções do transporte de produtos via aéreo, por navegação de cabotagem e rodoviário, já que a região é cortada pela BR 101 e próxima à BR 262, e contribuindo para melhor fluxo de recebimento e expedição de mercadorias.

Localização do entreposto

Rodovia do Governador Mário Covas, 1941, Km 281,3 (Rodovia do Contorno) – Bairro Padre Mathias – Cariacica – Região Metropolitana da Grande Vitória – ES

Conteúdo Publicitário