28.7 C
Vitória
quinta-feira, 1 outubro, 2020

Você sabe manter seus talentos?

Leia Também

Assistente virtual vai tirar dúvidas dos eleitores

TRE-ES apresenta Bel. A assistente virtual irá esclarecer dúvidas sobre a regularidade da situação do eleitor, o número da inscrição eleitoral, o local de votação, dentre outras

Justiça concede liminar suspendendo o retorno às aulas

A juíza Alzenir Bollesi de Pla Loeffler, da 13ª Vara do Trabalho de Vitória, determinou, nesta quarta-feira (30), a suspensão do retorno às aulas presenciais da rede privada do Espírito Santo anunciado pelo governador Renato Casagrande para a próxima segunda-feira (5).

Outubro Rosa: Conscientização sobre o câncer de mama

Começa nesta quinta-feira (01) a campanha Outubro Rosa. Com o tema “Quanto antes melhor”, lançado pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), o objetivo da ação é conscientizar a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

Para alguns gestores de RH, o grande desafio corporativo no século XXI será a retenção de talentos. Com o crescimento do Estado e o surgimento de novos postos de trabalho, os atrativos que sua empresa não oferece podem fazer a diferença na hora de um funcionário optar por mudar de emprego. Por isso, será que não é o momento de pensar em políticas de atração e retenção dos talentos que você tem em casa?

Sabe aquela história de que profissional bom não fica desempregado? Ela é verdade. E o desafio agora não é ele conseguir um emprego, mas sim a empresa mantê-lo dentro de seu quadro de funcionários. O mundo globalizado, a competitividade e o surgimento de novas oportunidades de trabalho estão deixando preocupados especialistas em Recursos Humanos. É o que comprova uma pesquisa realizada pela empresa de serviços Ticket e da Empreenda Consultoria, que revelou que 73% dos profissionais de RH das companhias acreditam que 2011 será mais difícil do que 2010 em relação à retenção de talentos.

Muito disso se deve ao crescimento econômico, surgimento de novos e mais interessantes postos de trabalho e dinâmica própria do mercado, que permite ao funcionário escolher a melhor opção de acordo com seus anseios e interesses. Diante desse cenário, a retenção de talentos deve figurar como estratégia de crescimento de uma empresa.

Para a diretora da Psicoespaço Consultoria em Gestão de Pessoas, Maria Teresa Cardoso, “quando as empresas retêm seus talentos é um ótimo sinal de que as pessoas trabalham felizes, dão os resultados esperados e alcançam as metas propostas. Consequentemente, vem o lucro, mantendo a sustentabilidade, que é a sobrevivência da organização”, disse.

A especialista lembra que muitos empresários acham que salário é o principal, e talvez único, atrativo para os funcionários, mas, na prática, não é bem assim que os colaboradores pensam. “Temos que ter um ambiente saudável, onde as pessoas possam se relacionar de forma agradável, possam ser ouvidas em suas ideias e sugestões. Além disso, que possam vivenciar suas emoções, compartilhando do sonho da empresa. Os colaboradores querem crescer e saber até onde podem chegar”, relatou.

Segundo a gestora de Recursos Humanos da Psicostore, Daniele Guidoni, a permanência ou consolidação de um colaborador no cargo passa pela expectativa dele acerca de sua carreira e pela visão do que pode alcançar na corporação. “O desafio das empresas é estabelecer um plano consistente de desenvolvimento de pessoas, com ações integradas e continuadas, que estejam alinhadas com as expectativas de desenvolvimento de seus funcionários”, ressaltou.

E, para isso, o reconhecimento material e social, através de promoção, premiação ou da consideração pública pela contribuição dada, pode apresentar resultados positivos. “Apesar de importantes, somente essas ações não bastam. É importante que o profissional esteja trabalhando realmente com aquilo que gosta e com perspectivas de crescimento na empresa”, enfatizou a presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional Espírito Santo (ABRH-ES), Ângela Abdo Campos Ferreira.

Outras ações também podem ser realizadas para manter o profissional de talento satisfeito e motivado na empresa. Um exemplo, segundo Ângela, é “permitir que ele desenvolva projetos que estejam alinhados com suas aspirações profissionais e pessoais e, assim, programe suas visão de negócio”.

Perda de talentos é igual a prejuízo
“Toda vez que se perde um talento, um ‘funcionário de valor’, a empresa perde em resultado”, lamenta o supervisor de Recursos Humanos da Argalit, Willian Bala. Para ele, a manutenção de talentos na empresa colabora para um desempenho corporativo favorável. “O Grupo Argalit aposta na pesquisa de clima e nas avaliações de desempenho como norteadores das suas práticas junto aos colaboradores, elaborando um plano de ações através dos resultados obtidos”, informou.

Já para Lorenge atrair e reter os melhores talentos do mercado faz parte de sua visão de futuro. A empresa desenvolve programas de capacitação de mão de obra e de trainee, além de planos de incentivo aos estudos com concessão de bolsas de Integração da Família e Responsabilidade Social. Uma das alternativas que tem tido êxito é o investimento na construção de áreas de lazer nos canteiros de obras, promoção de campanhas de saúde bucal e ginástica laboral. “Com esses programas, os profissionais se sentem mais valorizados e motivados. Há um engajamento maior no trabalho, contribuindo para que a empresa alcance as metas estabelecidas em seu planejamento estratégico. O funcionário que se sente valorizado passa a buscar mais pelo desenvolvimento de suas habilidades, o que reflete na melhoria dos serviços e produtos oferecidos pela empresa e também na qualidade de vida do colaborador”, explicou o diretor de Recursos Humanos da Lorenge, Nilson Silva.

No Grupo São Bernardo, de acordo com a diretora de Gestão de Pessoas, Karina Santana, a empresa tem apostado em capacitação, treinamento e busca de talentos dentro da própria empresa, que tem cerca de 1.200 colaboradores. Segundo ela, muitas vezes, os talentos estão dentro da própria empresa, basta lapidá-los. “Trabalhamos com recrutamento interno visando a um plano de carreira. Para toda vaga que surge, abrimos um processo interno para preenchê-la. Nos últimos anos, o Grupo São Bernardo cresceu muito, permitindo ao colaborador a reciclagem de conhecimentos para buscar posições melhores dentro da empresa”.

Diagnosticar de forma assertiva quais são os gaps de competências organizacionais e pessoais e empreender ações consistentes e sustentáveis para o desenvolvimento das mesmas são essenciais para manter os talentos dentro da empresa. Cabe ao gestor enxergar no profissional qual é a sua vocação e em que ela poder aproveitada. Além disso, funcionários precisam se sentir valorizados e, consequentemente, motivados a darem o melhor de si. Assim, cresce a empresa, crescem os funcionários.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Chefe ou líder? O que você é?

Entende-se que uma das características mais importantes de um líder é desenvolver uma equipe que seja capaz de funcionar sem ele

Cinco passos para conquistar prosperidade

As pessoas só querem prosperidade ou estão trabalhando para serem prósperos?

Empresas dão a funcionários decisão sobre home office no futuro pós-pandemia

Nas últimas semanas, grandes empresas estrangeiras de tecnologia, como Google, Twitter e Facebook, anunciaram que irão prolongar o regime de home office de seus funcionários para além do fim da pandemia do novo coronavírus

Dez passos para uma boa tomada de decisão

O nosso cérebro faz escolhas, baseado em nossas experiências anteriores, em nossos costumes locais, em nossa cultura ou construção psicológica, momento hormonal e até mesmo em nossa genética

Quer se desenvolver como líder? Siga esses 7 passos

Ser um chefe não quer dizer ser um líder  O líder dentro de uma organização torna-se o ponto de equilíbrio e peça-chave para fazer a...

5 vantagens que a atividade física traz ao mercado de trabalho

Exercícios físicos podem ajudar as pessoas a terem uma vida mais prazerosa e crescerem profissionalmente Com a correria do dia a dia, muitas pessoas entram...

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Guedes: precatório não é fonte saudável, limpa, permanente e previsível

Temos o direito de examinar do ponto de vista de controle de despesas, o exame não é jamais para financiar programa A ou B", completou ministro

Economia: pedidos de seguro-desemprego caem 11,6% na 1ª quinzena de setembro

O custo de cada parcela adicional é estimado em R$ 8,35 bilhões, segundo cálculos da equipe econômica obtidos pelo Broadcast

‘Vamos fazer programa de substituição tributária’, diz Guedes

Ricardo Barros (PP-PR), afirmou ainda que não haverá aumento de carga tributária na proposta de reforma que o governo construirá

Conab avalia que Brasil terá segunda maior safra de café em 2020

O 3º Levantamento da Safra 2020 de Café, divulgado hoje (22), em Brasília, pela Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), foi estimado em 61,6 milhões...

Vida Capixaba

Nova LEI proíbe fumar em parques públicos de Vitória

Agora é lei em Vitória: fica proibido fumar nos parques públicos municipais. Não será permitido o fumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos, narguilés ou qualquer produto fumígeno, derivado ou não do tabaco.

Hoje é dia da moqueca capixaba

A data, 30 de setembro, foi instituída por meio de lei municipal nº 8.313/12 e faz parte do calendário oficial de Vitória

Outubro Rosa 2020: novo formato, mesmo conceito

O movimento oficial Outubro Rosa 2020 chega em novo formato no Espírito Santo, mas com o mesmo conceito: alertar sobre a importância da detecção precoce do câncer. Afinal, a vida mudou. A forma de cuidar dela, não.

Bate-papo sobre “logística reversa”

A Câmara Técnica de Resíduos Sólidos da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – Seção Espírito Santo (ABES-ES) irá promover um bate-papo online na terça-feira (29), às 19h, com o tema “Logística Reversa”.
Continua após publicidade