16.6 C
Vitória
quarta-feira, 29 junho, 2022

Uso de máscara deixa de ser obrigatório no Espírito Santo

O anuncio sobre a não obrigatoriedade do uso de máscara foi feito durante coletiva pelo governador Renato Casagrande. Foto: Secom/Governo do Estado

Além disso, o passaporte vacinal não será mais cobrado no Espírito Santo e o mapa de risco não será mais publicado

Por Amanda Amaral 

O governo do Estado do Estado, Renato Casagrande, anunciou durante coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (06), que, em todo o Espírito Santo, não existe mais obrigatoriedade do uso de máscaras em locais abertos e fechados ou da apresentação de passaporte vacinal para acesso a estabelecimentos.

O uso da proteção contra a Covid-19 continua obrigatório somente em unidades de saúde. “Estamos mudando nosso modelo de gestão da pandemia no Espírito Santo. Pandemia que foi decretada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e só ela pode retirar essa classificação. Contudo, ela será tratada e gerenciada no Estado como qualquer outro assunto da área de saúde pública, sem a exigência de medidas qualificadas. É um passo importante baseado nos dados e pelo momento em que estamos vivendo. A vacinação foi a principal responsável por chegarmos até este momento. Reforçando que todas essas medidas qualificadas adotadas ao longo desses dois anos nos ajudaram a salvar vidas”, destacou o governador.

A liberação vinha ocorrendo de forma gradativa desde o dia 11 de março, pois o uso da máscara já não era obrigatório no Estado em academias e em locais abertos. Contudo, o Governo do Estado mantém recomendações de proteção contra a doença para pessoas em situação vulnerável, com comorbidades, gestantes e não vacinados.

Mapa de Risco

Além destas medidas, o governador Casagrande também anunciou novas decisões da Sala de Situação, responsável por debater as medidas vigentes contra a Covid-19, juntamente com o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes.

Entre elas, a não publicação oficial do mapa de risco, que classificava as cidades do Estado e era divulgado semanalmente. O instrumento servia como parâmetro para avaliação das medidas de proteção necessárias.

Durante a gestão da pandemia, foram publicados um total de 101 Mapas de Risco da Covid-19, sendo o último deles divulgado na última sexta-feira (1º). A estratégia de mapeamento de risco (Matriz de Risco) teve início em abril de 2020.

“A Matriz de Risco foi um grande instrumento que salvou vidas de capixabas. Ao longo da pandemia, conseguimos evoluir muito na assistência à saúde, tanto que conseguimos também ajudar pacientes de outros estados. Tivemos a capacidade de construir um legado mesmo diante de todas as pressões. Estamos com o coração alegre e a alma feliz por chegarmos a esse momento. Nossa equipe seguirá mobilizada para se reunir a qualquer momento que a pandemia exigir”, pontuou o governador Casagrande.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade