Um ano e dois meses é o tempo médio de desemprego no país

carteira de trabalho
Foto: Agência Brasil

Pesquisa do SPC Brasil e da CNDL traça o perfil dos desempregados brasileiros: maioria tem filhos, ensino médio completo e, em média, 34 anos.

Nas últimas semanas, alguns indicadores econômicos mostram uma recuperação da economia. Porém, isso ainda não está diminuindo o período que brasileiros ficam sem trabalho. O número de pessoas à espera de uma oportunidade ainda é alto. No final de 2017, eram 12,3 milhões.

O SPC Brasil e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) realizam a pesquisa “O desemprego e a busca por recolocação profissional no Brasil”. O estudo foi feito em todas as capitais e mostra que o tempo médio de desemprego já chega a 14 meses. O número é maior do que o observado em 2016, quando girava em torno de 12 meses.

Segundo a pesquisa:
– 59% dos desempregados são do sexo feminino, com média de idade de 34 anos;
– 54% têm até o ensino médio completo;
– 95% pertencem às classes C/D/E;
– 58% têm filhos, a maioria menor de idade;
– entre os que já tiveram um emprego antes, 34% atuavam no segmento de serviços, enquanto 33% no setor de comércio e 14% na indústria.

A média de permanência no último emprego foi de aproximadamente dois anos e nove meses. No último emprego, 40% dos desempregados possuíam carteira assinada, 14% eram informais e 11% autônomos ou profissionais liberais. Já 8% dos desempregados atuais estão buscando a primeira oportunidade profissional.

Conteúdo Publicitário