20 C
Vitória
sexta-feira, 23 abril, 2021

Um ano do primeiro registro da Covid-19 no Brasil

As autoridades anunciaram a primeira pessoa com Covid-19 no País em 26 de fevereiro de 2020. Um ano depois, batemos recorde de mortes diárias

Da Redação

Há 365 dias, o primeiro caso de infecção pelo novo Coronavírus (SARS-CoV-2), causador da Covid-19, era registrado no Brasil. De lá para cá, mais de 10 milhões de pessoas receberam o diagnóstico positivo para a doença, que já matou mais de 250 mil brasileiros. O País está longe de superar a pandemia e bateu recorde de mortos em 24 horas nessa quinta-feira (26): 1.582.

A declaração de transmissão comunitária no país veio em março, mês em que também foi registrada a primeira morte pela doença. Em 2020, estudos sobre a vacina contra Covid-19 avançaram e tornaram real a possibilidade de imunizar a população. Em janeiro deste ano, o Brasil começa a vacinar grupos prioritários, após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford.

Com casos ainda em alta e vacinação em andamento, no início de 2021, vários estados decretam toque de recolher para tentar conter o avanço da doença. A falta de distanciamento e de medidas de contenção abrem o horizonte para uma piora na situação da pandemia.

Fiocruz alerta para falta de leitos

O novo Boletim Observatório Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) abre um debate sobre o aumento de casos e taxa de ocupação de leitos no país. De acordo com dados apurados em 22 de fevereiro , as taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos revelam o pior cenário já observado, inclusive pela sua dispersão no país.

São 12 estados e o Distrito Federal na zona de alerta crítica (≥80%) e 17 capitais (que concentram recursos de saúde e também populações) com taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos de pelo menos 80%. A análise é referente às semanas epidemiológicas 5, 6 e 7 de 2021, que abrangem o período de 31 de janeiro a 20 de fevereiro.

“O Brasil apresentou uma média de 46 mil casos, valor mais elevado que o verificado em meados do ano passado, e média de 1.020 óbitos por dia ao longo das primeiras semanas de fevereiro. Nenhum estado apresentou tendência de queda no número de casos e óbitos”, destaca o documento.

Com informações da Agência Brasil e da Fiocruz.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade