29.9 C
Vitória
segunda-feira, 24 junho, 2024

Turismo capixaba avança na rota do futuro

Setor turístico traça ações para atrair mais visitantes e aproveitar os potenciais naturais e culturais do Espírito Santo

Por Daniel Hirschmann

Considerado uma das atividades mais abrangentes em relação ao impacto no desenvolvimento econômico e social de uma região, o turismo volta a ganhar lugar de destaque na estratégia de crescimento do Espírito Santo para os próximos anos. Com o lançamento do documento Rota Estratégica para o Futuro do Espírito Santo – Turismo 2035, realizado no último dia 8 de novembro, em Vitória, entre outras iniciativas, governo estadual, municípios e setor empresarial estão se unindo para fortalecer a atividade – uma das mais atingidas pelo fechamento de negócios durante a pandemia de Covid-19.

- Continua após a publicidade -

A meta é encontrar as melhores formas de aproveitar algumas características privilegiadas do estado, como a localização, riqueza geográfica, cultural e logística, a fim de garantir que o turismo seja uma base sólida, permanente e sustentável do desenvolvimento do Espírito Santo.

E atrativos não faltam. Desde o litoral até as montanhas, das rampas de voo livre ao turismo religioso, das manifestações folclóricas aos esportes náuticos, passando pelo agroturismo e o turismo de negócios, o Espírito Santo oferece aos visitantes várias opções difíceis de encontrar em outros lugares, tudo em distâncias relativamente curtas entre si.

Turismo capixaba avança na rota do futuroDiferencial de qualidade

As propostas da recém-lançada Rota Estratégica foram elaboradas por mais de 170 especialistas na área do turismo, envolvendo o trade turístico, Fecomércio, Sebrae, Findes, Contures e empreendedores, entre muitos outros atores. O documento busca agregar às vantagens turísticas capixabas “um diferencial de qualidade na identificação e organização dos destinos, na divulgação dos atrativos e na recepção aos visitantes” e aponta iniciativas que abrangem aproximadamente 52 atividades econômicas ligadas ao setor de turismo.

Isso se traduz em “investimentos na infraestrutura logística, capacitação de mão de obra, organização e montagem de roteiros estruturados e estímulo à ampliação dos serviços de atendimento aos turistas, além da definição de segmentos e áreas mais promissoras para o desenvolvimento do setor em cada região”, explicita o documento.

Segundo o secretário-executivo da Câmara Empresarial de Turismo do Espírito Santo (CET-ES), José Antônio Bof Buffon, a Rota Estratégica do Turismo 2035 traz inovações em relação a documentos anteriores e serve como um guia. “Ela tem uma visão de futuro mais clara. Algumas previsões de futuro: para onde? O que a gente quer? Ela é mais ampla, envolve uma amplidão de formas de desenvolvimento do turismo, com ações, projetos etc.

E ela é detalhada, chega a níveis de ações. Então, é um mapa que pode permitir que cada um dos entes do trade turístico, dos governos municipais e estadual, se paute por ela”, avalia.

Órgão consultivo constituído pela Fecomércio em junho de 2023, a CET-ES tem o objetivo de contribuir para fomentar o turismo e o desenvolvimento econômico do estado e reúne 23 membros que representam diversos setores ligados à atividade turística, como eventos, agências de viagens, hotéis, transportes, bares e restaurantes, entre outros. Em parceria com a Secretaria de Turismo do Estado, a CET-ES busca a priorização e cooperação entre os entes privados para dinamizar os atrativos turísticos capixabas, tanto os consolidados quanto os potenciais, e fortalecer o comércio e os serviços.

Desempenho crescente

No caso do Espírito Santo, de acordo com o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), essas atividades ligadas ao turismo responderam por 7% da economia capixaba e 8,7% dos empregos gerados no estado em 2022. “E esse desempenho vem aumentando ao longo dos últimos anos”, observa o diretor-presidente do Instituto, Pablo Lira.

Ele entende que esse aumento vem sendo fortalecido por uma integração de ações ligadas à própria área do turismo com as atividades culturais, como a realização da Feira dos Municípios, “que têm contribuído para colocar em evidência as potencialidades regionais turísticas das dez microrregiões do estado. São essas vocações regionais que, junto com o trabalho da Setur e de outras secretarias e autarquias, com a participação do Sistema S, das Federações e do trade do turismo, além dos municípios, estão conseguindo melhorar a participação das atividades características do turismo na economia do estado e gerando cada vez mais empregos”, comenta Lira.

Turismo capixaba avança na rota do futuro
Feira dos Municípios leva diversidade cultural do ES para o Pavilhão de Carapina – Foto: Divulgação

Essa retomada da atividade turística e de eventos festivos – dois segmentos com impactos negativos na pandemia – se traduz em números. Segundo o IJSN, o Espírito Santo alcançou um crescimento do volume de atividades turísticas de 7,9% no acumulado de quatro trimestres, até junho de 2023. “Esse percentual de crescimento é superior ao do período pré-pandemia, lá em 2019. Então, a gente continua com a atividade econômica do turismo e atividade econômica do estado também com valores acima do período pré-pandêmico”, ressalta.

Lira destaca que no segundo trimestre de 2023, o Espírito Santo obteve o quinto melhor desempenho nas atividades características do turismo entre os estados brasileiros. “Ficamos na frente de estados como São Paulo, Santa Catarina e Pernambuco. São estados que têm um histórico de atividade e uma infraestrutura de turismo com projeção nacional e internacional, mas o Espírito Santo conseguiu registrar o quinto melhor desempenho entre os estados brasileiros. É um bom sinal”, destaca.

Mais divulgação e infraestrutura

Ele reforça que esse resultado é fruto de um trabalho integrado, coordenado pela Setur, na realização de eventos e na inserção do estado no circuito de eventos nacionais, “para fortalecer esse movimento de ‘vender’ o turismo do Espírito Santo como algo diferencial no Brasil”, aproveitando a localização no Sudeste e os atrativos das praias, dunas e Região Serrana.

Turismo capixaba avança na rota do futuro
José Antônio Bof Buffon

Essa maior divulgação do Estado é justamente uma das principais demandas do setor. Segundo Buffon, os membros da Câmara Empresarial de Turismo destacam, entre seus pedidos, a necessidade de promoção e divulgação do Espírito Santo fora do estado, além de investimentos em infraestrutura para eventos. “São as duas principais pautas dos membros da CET hoje. É quase consenso entre os integrantes da Câmara”, afirma.

Buffon avalia que o Espírito Santo tem uma capacidade instalada de equipamentos, atrativos e empresas, entre outros pontos, que comporta um quantitativo significativamente mais alto de turistas. O estado já tem um aeroporto maior e o debate agora gira em torno da criação de um centro de convenções, ou centro de eventos. Mas, a seu ver, isso não resolveria tudo no curto prazo, como o aeroporto também não resolveu.

O secretário-executivo da CET-ES lembra que o aeroporto de Vitória tem capacidade para 9 milhões de pessoas por ano e está com um movimento de 6 milhões, o que dá uma ideia do gap existente. Já em relação às rodovias que cortam o estado, ele considera que estão “satisfatórias” e não representam um gargalo para o turismo.

Potencial para eventos

No curto prazo, ele vê o turismo de eventos com possibilidade de dar maior elasticidade ao fluxo turístico. Outros segmentos, como o turismo de montanhas e de lazer, também são importantes, porque são pulverizados de norte a sul do estado, mas têm baixo impacto econômico. “São de impacto regional alto, impacto social elevado, de inclusão, mas não conseguem mudar o patamar do turismo no Espírito Santo”, afirma Buffon. Os dois eixos capazes de mudar o patamar do fluxo turístico, de acordo com ele, são “o turismo de eventos e de sol e verão”.

Mesmo assim, ele acrescenta que é preciso levar em conta as características do interior do estado, com agroturismo, montanhas, clima frio e gastronomia, sempre buscando a cooperação entre os setores público e privado. “Nós temos que ter um movimento interno consistente, coerente, de cooperação entre os entes e destes com o governo, com o propósito de divulgar melhor o estado e captar fluxos mais constantes de turismo no Espírito Santo”, pondera.

O que talvez sejam os últimos passos necessários ao sucesso do esforço conjunto para elevar o turismo capixaba a novos patamares começaram a ser dados pelo Executivo e pelo Legislativo do Espírito Santo no último dia 7 de novembro, quando a Assembleia Legislativa do estado aprovou o requerimento de urgência para o Projeto de Lei que institui no Espírito Santo a Política de Turismo Sustentável, o Plano de Desenvolvimento Sustentável do Turismo e o Sistema Estadual de Turismo. A proposição, de autoria do Executivo, pretende substituir a legislação em vigor (Lei 2.997/1975) por uma mais atualizada, que seja norteadora da atuação do poder público, do setor privado e da sociedade civil organizada no fomento à atividade turística como uma estratégia de desenvolvimento socioeconômico sustentável. Assim que aprovada em plenário, a nova norma será sancionada pelo governador Renato Casagrande.

*Matéria publicada originalmente na revista ES Brasil 2018, em outubro de 2023

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA