Testes de brasileiros dá negativo para o coronavírus

brasileiros coronavirus
Brasileiros usam máscara para evitar a contração do coronavírus. - Foto: Amanda Perobelli/Reuters

Os 58 brasileiros que vieram da China passaram pela quarentena e passaram por testes feitos no Laboratório Central do Estado de Goiás (Lacen)

Os 58 brasileiros que retornaram ao país após viagem à China passaram por testes feitos no Laboratório Central do Estado de Goiás (Lacen) e apresentaram diagnóstico negativo para o coronavírus.

Segundo nota emitida pelo Ministério da Saúde, “os 34 repatriados e os 24 profissionais, divididos entre tripulação, Ministério da Saúde e comunicação, foram submetidos a exames, mesmo sem sintomas e sem infecção.”.

O Brasil continua sem casos registrados do vírus, conforme informações divulgadas pela instituição. Entretanto, oito casos continuam sendo investigados em Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (2), São Paulo (3), Paraná (1) e Rio Grande do Sul (1).

“Os pacientes ficam durante três dias, em média, fazendo os primeiros testes. Depois a gente tem mais três a quatro dias para fazer a conclusão do processo. A previsão da investigação completa é de uma semana, mas pode existir a necessidade de repetir testes e exames”, disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo.

Espírito Santo

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) também está adotando medidas para evitar que o vírus chegue por aqui. Técnicos da secretaria e médicos infectologistas da Sociedade de Infectologia do Espírito Santo se reuniram na segunda-feira (10) para discutir um plano de ação.

Primeiro paciente recuperado do coronavírus
Aumenta para 13 o número de casos de coronavírus no Brasil
Fake News: Suspeita de coronavírus em Aracruz
Brasil apresenta nove casos suspeitos de coronavírus

Desde o início das nossas ações sobre o novo coronavírus estamos estabelecendo debate junto às áreas técnicas e à Sociedade de Infectologia do Estado. Apresentamos relatórios do Ministério da Saúde e alinhamos ações para esta semana que serão apresentadas na reunião da próxima segunda (17)”, ressaltou o secretário de Saúde, Nézio Fernandes.

sesa
O secretário de Saúde, Nézio Fernandes, reuniu-se coim a equipe técnica da Sesa e médicos infectologistas da Sociedade de Infectologia do Espírito Santo. – Foto: Divulgação / Sesa

Já o coordenador Centro de Operações Estratégicas, Luiz Carlos Reblin, as reuniões seguirão acontecendo toda segunda-feira junto aos médicos. “A ideia é nos reunirmos semanalmente com grupo de especialista para que possamos alinhar as novidades, o que se tem de referencial científico para cada semana e o que está acontecendo com a evolução da doença na China e restante do mundo, para assim, caso precisemos tomar decisões, que elas sejam baseadas em critérios científicos”, disse.

Portos e aeroportos

As recomendações do Ministério da Saúde estão de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), que indica ter uma atenção especial aos portos e aeroportos. Desta forma, os passageiros que desembarcam no Aeroporto de Vitória já ouvem mensagem de alerta sobre o coronavírus.

Os sinais sonoros tem duração de um minuto sobre os sintomas da doença e sobre medidas para evitar a transmissão. São emitidos em português, inglês e mandarim. O alerta sonoro se deu em cumprimento à determinação da Infraero, de que todos os aeroportos do Brasil adotassem a medida desde o dia 24 de janeiro.

A Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) emitiu uma nota garantindo que está preparada para cumprir o protocolo, se a situação assim exigir. Informa que “a Anvisa possui uma unidade operacional no Cais de Capuaba, realizando, rotineiramente, as atribuições que lhe compete, mas sempre interagindo com os técnicos do Porto de Vitória, visando o monitoramento e aprimoramento da capacidade de resposta no recinto alfandegado”.

*Da redação, com informações da Agência Brasil, Sesa e G1.