24.9 C
Vitória
quarta-feira, 10 agosto, 2022

Startup portuguesa une marketing digital com serviços imobiliários

Fintechs startup de tecnologia
O cenário do mercado imobiliário português segue um caminho semelhante ao vivenciado deste lado do Atlântico. Foto: Reprodução

O cenário do mercado imobiliário português segue um caminho semelhante ao vivenciado deste lado do Atlântico

Dentre as inovações e transformações sociais que vieram à tona, no Brasil e no mundo, por ocasião da pandemia de Covid-19, o mercado imobiliário viveu uma digitalização acelerada. Segundo uma pesquisa divulgada pela Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) no final de novembro de 2021, 6% das compras de imóveis realizadas em um período de 12 meses foram realizadas pela internet.

O balanço também mostra que a maioria dos consumidores (52%) adquirem imóveis por meio de imobiliárias e somente 14% negociam com os proprietários sem intermediários. Consequência disso, o número de corretores de imóveis aumentou cerca de 11% ao longo da crise sanitária, passando de 390 mil profissionais no início de 2020 para 430 mil, segundo o Cofeci (Conselho Federal de Corretores de Imóveis).

De acordo com Ary Gustavo de Lima Ribeiro, diretor de operações da Casas de Lisboa – startup portuguesa que atua com venda de imóveis e serviços de marketing digital -, o cenário do mercado imobiliário português segue um caminho semelhante ao vivenciado deste lado do Atlântico.

“Em resposta a este fator [digitalização no setor imobiliário], criamos a Casas de Lisboa em 2020 a partir de uma necessidade percebida com a pandemia, quando a relação do consumidor com o setor imobiliário foi alterada em função de restrições nas visitas e reuniões em imobiliárias físicas”, afirma Ribeiro.

“A adoção maciça de novas tecnologias ofereceu tanto benefícios para clientes, como também otimizou o trabalho dos consultores imobiliários, permitindo a execução de muitas tarefas pela internet, como o processo de captação de novos clientes”, acrescenta

Com a consolidação dos atendimentos remotos, prossegue Ribeiro, o exercício da atividade imobiliária, por meio da comunicação virtual – através de videochamadas – possibilitou a criação das agências imobiliárias digitais, que reduzem o contato físico entre clientes e consultores e dispensam os deslocamentos.

“Graças à revolução tecnológica, hoje é possível conversar com um consultor especializado à distância, bem como fazer visitas virtuais em detalhes de qualquer lugar do mundo. Atualmente, 98% dos potenciais compradores de imóvel começam sua jornada pela internet e nosso trabalho é conectar esses potenciais compradores a vendedores”, afirma.

Segundo o diretor de operações da Casas de Lisboa, as empresas do ramo não devem medir esforços para conectar compradores e vendedores. “Uma boa estrutura de marketing e vendas permite uma grande economia de tempo e dinheiro”, reporta.

Ribeiro destaca que o marketing digital praticado pela empresa possui uma forte ligação com a performance e vendas. “Buscamos nos especializar em estratégias de atração de leads e em conversão, o que nos permite ser muito eficazes na venda de imóveis para os clientes certos”. Ele também conta que a empresa se vale do marketing digital para atingir seu público-alvo de brasileiros.

“Começamos nosso negócio focando no público brasileiro, pois percebemos um interesse crescente desse perfil em morar em Portugal por conta das instabilidades políticas e insegurança do Brasil”, afirma ele. “Através do uso intenso de tecnologia e estratégias de automação em marketing digital, conseguimos reduzir a quantidade de consultores imobiliários em nossa equipe aumentando nossa lucratividade e faturamento”, detalha.

Segundo levantamento do Ministério da Justiça de Portugal, a soma de brasileiros que requerem a cidadania portuguesa vem em uma crescente desde 2017 e chegou a um crescimento de 141% entre 2010 e 2020. De acordo com os dados, a soma de pedidos passou de 24 mil para 58 mil. Em 2020, foram feitos 14 mil pedidos a mais do que em 2019, pré-pandemia

Em 2020, o número de brasileiros vivendo em Portugal bateu recorde, com 183.993 pessoas, segundo informações oficiais do SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras).

Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade