27.7 C
Vitória
terça-feira, 30 novembro, 2021

Síndrome de Burnout: Esgotamento que vai além do cansaço

Mais Artigos

A doença ocupacional é causada por condições de trabalho exaustivas que afetam a saúde emocional

Por Marden Mahmud Lauar

Reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma doença ocupacional, a Síndrome de Burnout vem atingindo cada vez mais
profissionais. Essa doença é caracterizada por um esgotamento mental, perda de energia causada por condições de trabalho exaustivas no aspecto físico ou emocional.

Atualmente, com a carga horária e demanda excessivas, competitividade do mercado e nível de exigências cada vez maiores, as pessoas se sentem cada vez mais cobradas para gerar resultados e, nesta busca, muitos desenvolvem a doença. Seu nome deriva do inglês, “burn-out” que significa “consumir-se” ou “estafar-se”.

A Síndrome de Burnout não deve ser confundida com a tensão diária que vivenciamos nas questões do trabalho. O Burnout se refere a um estado de estresse crônico com consequências mais severas, é sobre não ser bom o suficiente, sentir-se vazio, desprovido de motivação e abandonado. Pessoas que sofrem Burnout, muitas vezes, não enxergam qualquer esperança de mudança positiva em suas situações.

Os principais sintomas e manifestações da Síndrome de Burnout são: sensação de esgotamento físico e mental, sentimento de fracasso e impotência, pessimismo e baixa autoestima, ausência de realização pessoal, déficit de atenção e concentração, comportamentos agressivos, dores musculares e de cabeça frequentes, insônia, impaciência, alterações de humor, falhas de memória, falta de apetite, isolamento, sentimento de apatia e desesperança e perda de prazer. Perfeccionistas, competitivos e impacientes estão mais propensos a entrar em colapso laboral.

O indivíduo pode estar na estrada para a Síndrome se todo dia é um dia ruim, se cuidar de sua vida profissional ou doméstica parecer um desperdício total de energia, se estiver exausto o tempo todo ou a maioria do seu dia é gasto em tarefas que ele considera
entediantes.

O psiquiatra e o psicólogo são os profissionais de saúde indicados para identificar o problema e orientar a melhor forma do tratamento, conforme cada caso. Normalmente, o psicólogo indicará atividades que ajudem a distrair o paciente, tornando-o mais calmo e aliviando todo o estresse e tensão que sente.

Nos casos mais graves, um médico pode indicar tratamentos baseados em remédios. As principais formas de prevenir a Síndrome de Burnout são a prática de exercícios físicos, alimentação adequada, momentos de lazer e relaxamento, se cobrar menos, reorganizar os seus dias, cultivar relacionamentos saudáveis no trabalho.

É fundamental também que os funcionários tenham uma boa qualidade de vida no trabalho, e que o ambiente organizacional seja favorável e adequado para o desenvolvimento das atividades, para que os trabalhadores possam trabalhar bem e produzir resultados. Pessoas satisfeitas e motivadas com a empresa tendem a se comprometer mais com as atividades buscando realizá-las da melhor maneira
possível para atingir os objetivos definidos pela organização. Não hesite em procurar ajuda profissional. A saúde mental é tão
importante quanto a física.

Marden Mahmud Lauar é psicologa clínica

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba