Senado dividido durante julgamento de impeachment de Trump

trump-impeachment
O presidente Donald Trump é acusado de abuso de poder e obstrução do Congresso. - Foto: Saul Loeb/AFP/Getty Images

O julgamento começou nessa terça-feira (21) e está gerando polêmica acerca das regras que vão reger os procedimentos

O julgamento do impeachment do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, começou nessa terça-feira (21) e já divide os senadores norte-americanos acerca das regras que vão reger os procedimentos para a retirada dele do poder. O processo começou em 24 de setembro. Saiba mais aqui!

O impeachment foi aprovado no último mês sob a acusação de que Trump abusou de poder e obstrução do Congresso para obter informações sobre Joe Biden, ex-vice-presidente dos EUA e líder na disputa por uma indicação para disputar a presidência pelo Partido Democrata.

Sendo assim, o caso chegou ao Senado, na qual membros da Câmara dos Representantes, controlada pelos Democratas, julgam o caso liderados pelo presidente da Comissão de Inteligência Adam Schiff.

Shiff disse que “a maioria dos americanos não acredita que haverá um julgamento justo. Eles acreditam que o resultado já foi previamente definido”. Ele afirma, ainda, que testemunhas, incluindo o ex-secretário de Segurança Nacional John Bolton, deveriam receber permissão para depor.

Leia Também:

Se o pedido for aprovado, Donald Trump é o terceiro presidente da história dos Estados Unidos a enfrentar um processo de impeachment, depois de Andrew Johnson em 1868 e Bill Clinton, em 1999 – ambos absolvidos.

O que dizem os partidos?

O Partido Democrata também pediu que fossem apresentados documentos da Casa Branca e outros registros relacionados à suspensão temporária de ajuda militar dos EUA à Ucrânia.

Já o Senado, liderado pelos Republicanos, se opõe à medida. Isso porque o partido quer concluir o julgamento provavelmente até o fim de janeiro. Democratas estão tentando conquistar o apoio da população, convocando testemunhas para o julgamento.

Próximos passos

O julgamento do presidente norte-americano no Senado é conduzido pelo presidente da Suprema Corte, John Roberts, com todos os senadores servindo como jurados. Após as deliberações, os senadores votarão entre “culpado” ou “inocente” para cada uma das duas acusações de abuso de poder e obstrução do congresso, enfrentadas por Trump.

Uma maioria de dois terços é necessária para condenar e retirar o presidente em exercício do poder. No entanto, é esperado que ele seja absolvido, já que os republicanos são maioria no Senado.

*Da redação, com informações da Agência Brasil.

Leia Também: