24.9 C
Vitória
sexta-feira, 24 maio, 2024

SELIC: Segundo a ABFintechs, “A pandemia prejudicou a economia e estamos sendo afetados por um choque de oferta”

Para Renan Schaefer, diretor executivo da associação, a demanda continuou, dentre outros motivos, devido ao auxílio emergencial

Acredito que você já tenha visto que o Copom do Banco Central elevou ontem a taxa básica de juros da economia (Taxa Selic) em 0,75 ponto percentual. Com isso, a Selic passou de 2% para 2,75% ao ano. De modo geral, o aumento já era esperado, porém ultrapassou as estimativas.

Este foi o primeiro aumento da taxa Selic em 6 anos e a previsão é que a taxa continue aumentando, terminando 2021 em 4,5% ao ano e 2022, em 5,5% ao ano, segundo o Boletim FOCUS do Banco Central, de 12 de março de 2021.

- Continua após a publicidade -

Para Renan Schaefer, diretor executivo da ABFintechs, existe uma grande possibilidade de o aumento na taxa de juros continuar no curto e médio prazo. “A pandemia prejudicou a economia de modo geral e estamos sendo afetados por um choque de oferta. Neste cenário, a demanda continuou, dentre outros motivos, devido ao auxílio emergencial”, afirma o executivo.

Quanto aos investimentos neste momento, Renan ainda afirma que existe uma possibilidade grande de sair fluxo de capital produtivo e ações, migrando para uma renda fixa e mais tradicional. “Para investidores mais conservadores, a renda fixa volta a sinalizar uma retomada. No entanto, a questão ainda é um pouco mais complexa, ou seja, o aumento da taxa de juros também se reflete num ajuste de curva de juros mais longa. O impacto do aumento de juros será sentido tanto na economia real, como também no câmbio”, explica Schaefer.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA