24 C
Vitória
segunda-feira, 13 julho, 2020

Siderurgia e Mineração esperam recuperação definitiva

Leia Também

ES confirma mais de 63 mil infectados pela Covid-19

Chegou a 63.881 o número de casos confirmados do novo coronavírus no Espírito Santo, de acordo com o “Painel Covid”, da Sesa.

INSS começa teste de prova de vida digital com 550 mil beneficiários

Num primeiro momento, o mecanismo será feito por meio de reconhecimento facial, com o uso da câmera do celular, para quem já tem carteira de motorista ou título de eleitor digital.

Saque emergencial FGTS liberado para os nascidos em março. Como sacar?

O valor do saque é de até R$ 1.045, considerando a soma de todas as contas do FGTS do trabalhador. Nesta etapa, poderão ser pagos até R$ 3,3 bilhões. 

Siderurgia e mineração ainda enfrentam reflexos da crise, mas já apresentam resultados melhores e se preparam para o crescimento

Os setores de siderurgia e mineração ainda não viram a recuperação esperada, mas 2017 já foi considerado um ano normal, em que houve progresso e que termina com a expectativa de maior geração de caixa e novos investimentos. A Samarco continuou sem operar, mas os resultados da Vale e da ArcelorMittal foram positivos, abrindo um horizonte mais otimista.

MINÉRIO DE FERRO

A Vale estima um volume de caixa de até US$ 15 bilhões no ano, contra US$ 12,2 bilhões de 2016. Segundo o presidente da companhia, Fabio Schvartsman, esse é um resultado de anos considerados “bons e normais”. Nos nove primeiros meses de 2017, o Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da Vale somou US$ 11,2 bilhões.

Até setembro de 2017, a produção de minério de ferro na Vale foi de 75,1 milhões de toneladas

No terceiro trimestre, a empresa bateu recordes na produção de minério de ferro (91,5 milhões de toneladas), carvão (3,2 milhões de toneladas) e cobre na mina do Salobo (51,8 mil toneladas), com uma geração de caixa de US$ 4,2 bilhões – alta de 54% sobre os US$ 2,7 bilhões do trimestre anterior. Com isso, a dívida da Vale caiu de US$ 22,1 bilhões para US$ 21,1 bilhões e o objetivo é reduzi-la para US$ 10 bilhões. Já o lucro líquido até o terceiro trimestre foi de R$ 7,1 bilhões, refletindo o impacto de R$ 2,9 bilhões da apreciação da moeda brasileira em relação ao dólar.

De acordo com o diretor executivo de Finanças da Vale, Luciano Siani Pires, os resultados foram motivados pela recuperação de preços do mercado internacional para minério de ferro, níquel e cobre; a melhor realização de preços do minério de alto teor de Carajás; pela redução de custos; e pelo aumento de volume.

“A Vale está confiante de que está entrando em uma nova fase”, disse Siani, diretor executivo de Finanças da Vale.

No Espírito Santo, a companhia embarcou 81 milhões de toneladas de minério de ferro pelo Porto de Tubarão até setembro, enquanto a Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) movimentou 108,2 milhões de toneladas de minério de ferro, aço, grãos, carvão e fertilizantes, entre outros. A produção de minério de ferro nesse período foi de 275,1 milhões de toneladas, e as plantas de pelotização em Vitória produziram 22,9 milhões de toneladas.
Para suportar as operações no Espírito Santo, a Vale desembolsou US$ 1,16 bilhão, entre custeio e investimento, em nove meses. Já os investimentos socioambientais somaram US$ 22,7 milhões no período. Parte dos recursos do caixa da Vale – cerca de US$ 450 milhões – foi destinada à Samarco, que ficou sem operar em 2017 devido à falta de licenças ambientais. Só em dezembro a empresa obteve a licença prévia e de instalação da Cava de Alegria Sul. Falta ainda o Licenciamento Operacional Corretivo do Complexo de Germano. A mineradora também iniciou um programa de demissão voluntária (PDV), esperando a adesão de 600 empregados.

Fontes: Vale e ArcelorMittal Brasil

SIDERURGIA

Já na siderurgia, 2017 “não foi um desastre, como estava sendo previsto no final do ano passado, mas, a rigor, o setor como um todo progrediu pouco”, segundo o diretor-presidente da ArcelorMittal no Brasil, Benjamim Baptista Filho. Ele citou dados do Instituto Aço Brasil, prevendo crescimento de 1,2% nas vendas domésticas este ano, em relação a 2016. A produção de aço bruto deve crescer 9,2%, chegando a 34,154 milhões de toneladas. De janeiro a outubro, o aumento acumulado foi de 8,5%, com 28,5 milhões de toneladas. Em 2016, a produção do setor havia caído 6%, com 31,275 milhões de toneladas.
As importações de aço, por sua vez, devem crescer mais de 33% no ano. Assim, com vendas internas de laminados da ordem de 16,414 milhões de toneladas e mais 2,508 milhões de importações, o consumo aparente (que inclui as duas categorias) chega a cerca de 19 milhões, 5% a mais que em 2016.

A produção em Tubarão no ano foi de mais de 7,2 milhões de toneladas de placas de aço, sobre cerca de 7 milhões em 2016. A meta é alcançar 7,7 milhões de toneladas em três ou quatro anos. A produção de bobinas a quente chegou a 4,2 milhões de toneladas este ano. A planta da ArcelorMittal de Vega (SC), que processa o material enviado de Tubarão, operou praticamente à plena capacidade, apesar da crise, permitindo manter o laminador de Tubarão também em funcionamento em seu potencial total, o que ocorre desde 2014.

EMPREGOS

O mercado de trabalho também deu sinais de recuperação, apesar de dados negativos. Pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, até outubro o setor extrativo mineral teve um saldo negativo de 2.448 postos fechados no país, bem menos do que em todo o ano de 2016 (-11.855 vagas). Só no Espírito Santo, foram 112 postos fechados até outubro de 2017 e 526 vagas a menos em 12 meses. Segundo o Instituto Jones Santos Neves (IJSN), o estoque do setor no Estado, em outubro de 2017, foi de 11.666 empregados.

A indústria metalúrgica abriu 1.311 novas vagas no país, até outubro, diante de números negativos em 2016 (-44.355 postos). No Espírito Santo, o setor registrou estoque de 13.979 empregos e saldo de 373 novas vagas até outubro de 2017 e de 210 no acumulado de 12 meses.


Leia Mais
Nova agência vai regular o setor de mineração no Brasil

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Chefe ou líder? O que você é?

Entende-se que uma das características mais importantes de um líder é desenvolver uma equipe que seja capaz de funcionar sem ele

Tecnologia faz produção de café conilon “pocar” no Norte do ES

Quem apostou em sistemas de irrigação modernos, aliados ao manejo correto integrado, já começa a colher os primeiros frutos de uma tecnologia que veio para ficar.

Feirão Limpa Nome: seis passos antes de renegociar!

Mas antes de ir para a etapa de negociações é importante que o consumidor conheça seus números e faça uma faxina financeira.

CNI: confiança dos empresários da indústria melhora pelo 3ª mês seguido em julho

As expectativas com relação aos próximos seis meses já são otimistas", destacou a CNI, no documento. Confira! Por Eduardo Rodrigues (AE) Após bater no fundo do...

Vida Capixaba

Desafios do mercado audiovisual será tema de live

No bate-papo virtual também vão estar em pauta os desafios do mercado audiovisual e a experiência de Abel Santana no mundo das artes.

Mães à beira de um ataque de nervos

Não há descanso para as mamães, em casa, durante a pandemia Por Letícia Vieira Patrícia achou estranho o silêncio repentino, fazia meses que aquilo não acontecia:...

Escolas de Vila Velha são notificadas por não dar descontos nas mensalidades

As instituições privadas de ensino que não estão aplicando o desconto previsto na Lei Estadual nº 11.144/2020, válida a partir do dia 19 de junho.

Famílias têm papel fundamental na relação da criança com mundo digital

Rotinas offline ajudam a criança a desenvolver autorregulação. Saiba mais! Durante a pandemia de covid-19, os dispositivos eletrônicos com acesso à internet se tornaram...
Continua após publicidade